Arquivos do Blog

Governo de Minas: Dinis Pinheiro visita centro de tratamento de usuários de drogas

Credeq, em Ravena, distrito de Sabará, é uma das comunidades terapêuticas que mantém parceria com o Estado, por meio do programa Aliança pela Vida

Omar Freire/Imprensa MG
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, visitou o Credeq, em Ravena, distrito de Sabará
Governador em exercício, Dinis Pinheiro, visitou o Credeq, em Ravena, distrito de Sabará

O governador em exercício, Dinis Pinheiro, visitou, nesta sexta-feira (11), o Centro de Tratamento de Dependência Química (Credeq), em Ravena, distrito de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O Credeq é uma comunidade terapêutica, que atende usuários de drogas e tem parceria com o Estado. Dos 52 usuários internados, 30 foram encaminhados por meio do programa Aliança pela Vida.

Acompanhado pelo presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado João Leite, e pelo subsecretário de Políticas sobre Drogas, Cloves Benevides, Dinis Pinheiro foi recebido pelo diretor executivo do Credeq, pastor Wellington Vieira.

O governador em exercício conheceu o trabalho realizado pela instituição para a ressocialização dos usuários, a maioria dependentes do crack. Visitou as instalações do Credeq e tomou café da manhã preparado pelos próprios internos, que participam de oficinas profissionalizantes de padaria e cozinha industrial.

Para Dinis Pinheiro, o apoio do Governo de Minas é fundamental para que ações de combate ao uso das drogas tenham sucesso no Estado.

“As comunidades terapêuticas são iluminadas porque elas conseguem retratar aquele ambiente mais positivo e saudável que poderíamos almejar. Consegue retratar aquele ambiente familiar e aconchegante aliado às medidas necessárias e essenciais para o enfrentamento dessa adversidade, que é a dependências das drogas”, disse.

De acordo com o subsecretário de Políticas sobre Drogas, Clóvis Benevides, as instituições prestam um serviço necessário e transformador para o país.

“As comunidades são mais que um equipamento de saúde e de assistência, pois são uma representação muito sólida do exercício do amor. Oferecem suportes que vão para além das políticas convencionais”, afirmou Benevides.

O diretor executivo do Credeq, pastor Wellington Vieira, disse que a instituição é a que registra o maior percentual de recuperação de usuários, com 70% deles retornando ao ambiente familiar, depois de cumprido o programa de tratamento.

“Se não existisse a parceria com o Governo de Minas, 90% das nossas ações serão reduzidas a nada. Precisamos do apoio do Estado para a estruturação física das comunidades, custeio e capacitação de pessoal e realização de oficinas”, disse.

Aliança pela Vida

Minas Gerais é referência em todo o país no que se refere às políticas públicas destinadas ao tratamento a usuários de drogas. Neste ano, o orçamento para área dobrou em relação a 2011, somando cerca de R$ 50 milhões.

Usuários do Credeq são beneficiados, por exemplo, pelo cartão Aliança Pela Vida, que concede auxílio financeiro mensal no valor de R$ 900 a famílias, cuja renda seja de até dois salários mínimos. Desse valor, R$ 810 são para pagamento da comunidade terapêutica. Outra vertente do programa é o SOS Drogas. Em Minas, quem disca o número 155 tem informações sobre a localização e o acesso a serviços de assistência ao dependente químico.  Outro serviço é Centro de Referência Estadual em Álcool e Drogas (Cread) que funciona na Rua Rio de Janeiro, 471 – 3º andar, em Belo Horizonte, para atendimento presencial a pessoas com dependência e apoio as famílias.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/dinis-pinheiro-visita-centro-de-tratamento-de-usuarios-de-drogas/

Governo de Minas: Projeto Rua Livre consegue adesão de 86% dos usuários de drogas abordados

BELO HORIZONTE (19/01/12) – Minas Gerais avança no combate e na prevenção ao uso de drogas com um balanço positivo das ações desenvolvidas pela Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas (Supod), da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), no ano de 2011. O Rua Livre, projeto integrante do Programa Aliança pela Vida que consiste no acolhimento de usuários, encaminhamento para tratamento e ocupação de locais de consumo e venda de drogas, alcançou 86% de adesão nos cinco primeiros meses de atividade. De agosto a dezembro, 207 usuários foram abordados e 178 aceitaram o tratamento depois de ações realizadas em Belo Horizonte, Santa Luzia, Contagem, Jaboticatubas e Lagoa da Prata. Entre os que aderiram ao tratamento, a taxa de permanência chegou a 63%.

Os números são classificados como expressivos pelo subsecretário de Políticas Sobre Drogas, Cloves Benevides, que destaca ainda a retaguarda assistencial que cerca o modelo mineiro de diminuição das cenas de uso de droga no Estado. Entre os usuários abordados, a faixa etária de 30 a 59 anos teve o maior número de atendimentos, totalizando 115 pessoas (56%). Também foram acolhidos 86 usuários de 15 a 29 anos, dois de até 15 anos e quatro acima dos 60 anos. O público do sexo masculino representa 86% e o crack lidera o ranking das dependências entre os atendimentos, seguido do álcool e do tabaco.

Para 2012, a previsão é de que o Rua Livre tenha orçamento de 2,7 milhões e seja estendido para outras regiões do Estado.  “A integração das ações, o fortalecimento da parceria com as entidades sociais e a ampliação do atendimento são conquistas do Programa Aliança pela Vida e colocam Minas Gerais em posição de vanguarda no enfrentamento de um problema que afeta não somente Minas Gerais, mas todo o país”, ressalta o subsecretário.

SOS Drogas e Cartão Aliança pela Vida

Outra vertente do programa Aliança pela Vida, o SOS Drogas (155), cresceu mais de seis vezes ao longo do último ano: foram 13 mil ligações de janeiro a julho, contra 83 mil de agosto a dezembro. Em Minas, quem disca o número 155 tem informações sobre a localização e o acesso a serviços de assistência ao dependente químico. Para casos de urgência, as atendentes contam com suporte da equipe especializada do SOS Drogas, formada por psicólogo e assistente social, com atendimento in loco, e orientações de acordo com cada necessidade.

Em 2011, também foi lançado o Cartão Aliança Pela Vida, que tem como objetivo dar auxílio financeiro, em caráter temporário, às famílias que assumirem as despesas de tratamento de usuários de drogas, sobretudo o crack. O prazo máximo de concessão do auxílio é de nove meses, sendo que este só é autorizado à família do usuário que esteja internado, em caráter voluntário, em entidade especializada e credenciada pelo Estado para o tratamento. O auxílio, de R$ 900, é pago mediante atestado de frequência do dependente. O valor do tratamento – R$ 810 – é pago diretamente à instituição responsável e os R$ 90 restantes são destinados à locomoção e alimentação dos familiares dos atendidos.

Aliança pela Vida

O Programa Aliança pela Vida foi lançado em agosto de 2011 e representa uma parceria do Governo de Minas com entidades da sociedade civil para fortalecer a luta contra as drogas. As ações do programa são voltadas para o atendimento de usuários, dependentes de drogas e seus familiares, e à capacitação de profissionais de saúde e da área de assistência social.

O programa é um dos resultados do decreto assinado pelo governador Antonio Anastasia, em fevereiro de 2011, determinando a aplicação de até 1% do orçamento de órgãos e secretarias do Estado que desenvolvam programas sociais e projetos de prevenção e combate às drogas.

“Os avanços do Programa Aliança Pela Vida, nas diversas áreas de Governo, são consequência da coragem e determinação do governador Antonio Anastasia no enfrentamento do tráfico e na ajuda às famílias que sofrem“, salienta o secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada.

Setenta projetos de entidades sociais parceiras que desenvolvem projetos para jovens que queiram abandonar o tráfico também foram selecionados no último ano. Cada projeto conta com recursos do Governo de Minas para desenvolver ações de mobilização social para a prevenção e o combate às drogas.

 

Fonte: Agência Minas

Cidadania na adolescência: Relatório do Unicef revela avanços nos indicadores sociais de Minas

BELO HORIZONTE (16/12/11) – O “Relatório Sobre a Situação da Adolescência Brasileira 2011 – O Direito de Ser Adolescente”, que acaba de ser divulgado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), revela que nos últimos anos Minas Gerais alcançou avanços significativos nos indicadores sociais relativos à cidadania dos adolescentes que vivem no Estado.

De acordo com o documento – que foi elaborado a partir de dados colhidos na Pesquisa Nacional de Análise Domiciliar (Pnad), do IBGE – Minas melhorou seus índices em oito dos dez itens analisados. Em nove quesitos, o Estado apresenta um desempenho superior à média nacional.

“Os resultados deste estudo do Unicef demonstram a eficácia de políticas públicas voltadas para os adolescentes que o Governo de Minas tem desenvolvido nos últimos anos”, afirma o governador Antonio Anastasia.

“O Governo de Minas vem investindo em ações efetivas que vão ao encontro das reais necessidades da população. Os projetos e programas do Estado são desenvolvidos a fim de promover mudanças no comportamento e padrão de vida das pessoas. Acreditamos que dessa forma levaremos cada vez mais qualidade de vida para as famílias mineiras”, destaca o secretário de Estado de Desenvolvimento Social de Minas Gerais, Wander Borges.

Avanços na educação

Segundo o levantamento, o percentual de adolescentes mineiros de 15 a 17 anos que frequentam o ensino médio subiu de 49,7% em 2004 para 54,4% em 2009. Neste quesito, o índice mineiro, pelo último dado disponível, é 3,5 pontos percentuais superior à média nacional, que é de 50,9%.

Já o percentual de adolescentes mineiros de 16 e 17 anos com o ensino fundamental concluído e com no mínimo oito anos de estudo subiu de 48,3% em 2004 para 53,3% em 2009. Neste ano, a média nacional chegou a 51,1%, também conforme o estudo do Unicef.

Em relação à frequência e participação dos estudantes em sala de aula, Minas também mantém índices de destaque em relação à média nacional. Entre 2004 e 2009, a taxa de abandono de estudantes do ensino médio caiu de 15,9% para 9,3% no Estado – uma significativa redução de aproximadamente 6,6 pontos percentuais. No mesmo período, a taxa média nacional de abandono caiu de 16% para 11,5%.

Exemplo mineiro

Em seu relatório, o Unicef destaca uma iniciativa desenvolvida por estudantes da Escola Estadual Joel Mares, em Almenara, no Vale do Jequitinhonha. Os alunos criaram um projeto que promove a reflexão sobre o cotidiano da comunidade escolar e coloca em discussão temas relacionados ao município, por meio da produção de vídeos e de postagens em uma rede social na internet. A emissora virtual recebeu dos estudantes o nome de “TV Joel”.

A aluna Francielle Xavier Lima, de 18 anos, é responsável por selecionar temas relacionados ao município e produzir os vídeos para inclusão na rede social. “Com a minha participação no projeto da TV Joel, percebi que cada pessoa está inserida em uma realidade. O nosso trabalho é tentar melhorar a vida daquelas pessoas que mostramos nos nossos vídeos e, consequentemente, alterar a realidade do município”, disse Francielle em depoimento incluído no relatório do Unicef.

A Escola Estadual Joel Mares é uma das beneficiadas pelo Programa de Educação Profissional (PEP), da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG). Criado em 2007, o PEP oferece oportunidades de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros, por meio de dezenas de cursos realizados em todas as regiões do Estado. Desde a sua implantação, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos.

Avanços no campo social

O relatório também assinala os avanços de Minas no desenvolvimento social dos jovens. O estudo aponta, por exemplo, que a taxa de adolescentes de 12 a 17 anos que não estudam e não trabalham, que era de 5,9%, em Minas Gerais, em 2004 caiu para 4,9% em 2009. Além de ter caído um ponto percentual, o índice mineiro permanece abaixo da média nacional, que, no mesmo período, passou de 6,6% para 5,4%.

Já a taxa de bebês nascidos vivos, filhos de adolescentes de 12 a 17 anos que tenham se submetido a um mínimo de sete consultas pré-natais, aumentou de 44,1% para 51,4%, em Minas Gerais, de 2004 para 2009 – um avanço positivo de 7,3 pontos percentuais. No mesmo período, o índice nacional também variou positivamente, mas em um ritmo menor: de 40,1% para 43,5%.

Em relação ao percentual de adolescentes de 12 a 17 anos que já tiveram filhos, os dados referentes a Minas também foram bem avaliados pelo Unicef. No Estado, a taxa caiu de 2,3% para 1,9% de 2004 para 2009 – mantendo-se abaixo da média nacional, que passou de 3,1% para 2,8% no mesmo período.

O percentual de adolescentes de 12 a 17 anos inseridos em famílias extremamente pobres (que vivem com até 25% do salário mínimo por mês) sofreu uma pequena variação negativa em Minas, subindo de 12,4% para 13%. Nesse quesito, o Estado acompanhou uma tendência nacional, já que a média do país subiu de 16,3% para 17,6%.

Avanços na segurança pública

O levantamento do Fundo das Nações Unidas para a Infância atestou, ainda, a eficácia das ações do Governo de Minas na área da segurança pública voltadas para a proteção dos jovens. O relatório indica que de 2004 para 2009, enquanto o índice médio de homicídios entre adolescentes de 12 a 17 anos permaneceu estável nacionalmente (na casa dos 19,1% a cada grupo de 100 mil habitantes da mesma idade), em Minas a taxa caiu dois pontos percentuais – de 17,5% para 15,5%.

Tal resultado foi alcançado graças, em grande parte, à implementação do Fica Vivo!, programa estadual de controle de homicídios de jovens, que reduziu em até 50% o total de homicídios nas áreas onde foi desenvolvido.

Clique aqui para ver detalhes sobre os dados do relatório do Unicef (Arquivo Word).

Conheça alguns programas do Governo de Minas voltados para a inclusão social de jovens

Plug Minas

O Plug Minas é um programa dedicado à inclusão digital de jovens. Por meio do programa, jovens de 14 a 24 anos que estudam ou se formaram em escolas públicas de Belo Horizonte e região metropolitana participam, desde 2009, de atividades nas áreas de cultura digital, artes e empreendedorismo. A ideia do projeto é contribuir para que o jovem possa exercer sua cidadania, colocando em prática o direito ao trabalho e à educação. Atualmente, sete núcleos do Plug Minas estão em funcionamento e oferecem cursos voltados para as áreas de novas tecnologias, cultura digital, empreendedorismo e artes. No Plug Minas há ainda um núcleo inteiramente dedicado aos professores da rede pública.

Mais informações: www.plugminas.mg.gov.br

Aliança pela Vida

A valorização da cidadania e a inclusão social, por meio do combate às drogas, estão entre as prioridades do Governo de Minas. Com o objetivo de envolver diversos setores do governo para enfrentar o problema, foi lançado o programa Aliança pela Vida. Trata-se de uma parceria do Estado com entidades da sociedade civil para fortalecer a luta contra as drogas e ampliar as ações e medidas de enfrentamento. Para implantar efetivamente o programa, o governo determinou a aplicação de até 1% do orçamento de órgãos e secretarias do Estado que desenvolvam programas sociais a projetos de prevenção e combate às drogas. Apenas em 2011, foram investidos R$ 70 milhões.

Mais informações: www.youtube.com/watch?v=8x3jDshh3JM

Programa de Educação Profissional

Criado em 2007, o Programa de Educação Profissional (PEP) oferece oportunidade de capacitação profissional gratuita aos jovens mineiros. Em 2012, o PEP vai oferecer 30 mil vagas em 60 diferentes cursos em todas as regiões do Estado. Desde a sua implantação, o programa ultrapassa a marca de 200 mil estudantes atendidos e o investimento total chega a R$ 569 milhões. Os cursos do PEP são oferecidos em escolas credenciadas (inclui unidades particulares de ensino), em escolas públicas conveniadas e em escolas da rede estadual. Essas instituições formam a Rede Mineira de Formação Profissional Técnica de Nível Médio.

Mais informações: http://wrk.educacao.mg.gov.br/pep2011/geral/link1.htm

Fica Vivo!

Criado em 2003, o Programa de Controle de Homicídios Fica Vivo! faz acompanhamento especializado e oferece diversas oficinas culturais, esportivas, profissionalizantes e de lazer para jovens de 12 a 24 anos em situação de risco social e residentes em áreas que concentram indicadores elevados de homicídio. Até hoje, cerca de 50 mil jovens passaram pelos núcleos que oferecem 660 oficinas voltadas para o esporte, cultura, comunicação e cursos técnico-profissionalizantes. O Fica Vivo! conseguiu reduzir em até 50% os índices de homicídios nas regiões atendidas, a partir de ações que combinam repressão qualificada e inclusão social. Em setembro de 2006, o programa foi escolhido como um dos 48 finalistas do Prêmio Global de Excelência de Melhores Práticas para a Melhoria do Ambiente de Vida – Prêmio Dubai, criado pelo Centro das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (UN-Habitat).

Mais informações:  https://www.seds.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=283&Itemid=117

Minas Olímpica Geração Esporte

O programa Minas Olímpica Geração Esporte visa à inserção social de jovens por meio do esporte. São oferecidos, além da prática esportiva, atividades psicopedagógicas e culturais e complementação nutricional para estudantes com idades entre 10 e 15 anos. A prioridade é atender a jovens de famílias de baixa renda ou em situação de risco social. Até hoje, o programa já atendeu a 79,9 mil alunos. Em cada edição do programa, que foi lançado em 2005, a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej) inova em metodologia, qualificação, acompanhamento e avaliação, incorporando novas ferramentas para que os educandos sejam mais bem atendidos e os educadores melhor assistidos.

Mais informações: http://www.esportes.mg.gov.br/esportes/minas-olimpica

Valores de Minas

Criado em 2005, o Valores de Minas é um programa desenvolvido pelo Governo de Minas por meio do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas). O programa – que, a partir de 2009, se transformou em um Núcleo do Plug Minas – beneficia 500 jovens a cada ano e oferece oportunidades para o desenvolvimento pessoal de estudantes de escolas públicas da rede estadual. Já formou mais de 3.500 pessoas, entre alunos, multiplicadores e professores de Arte da rede estadual de ensino.

Mais informações: www.valoresdeminas.servas.org.br

Poupança Jovem

Lançado em 2007, o Poupança Jovem tem como foco estudantes do ensino médio da rede pública estadual que residem em municípios com alto índice de evasão escolar e violência. Ao longo dos anos de formação, os estudantes têm o rendimento escolar acompanhado e participam de atividades extracurriculares oferecidas, como cursos de capacitação profissional e inclusão digital. Ao final dos três anos do ensino médio, cada aluno participante recebe uma bolsa no valor de R$ 3 mil do Governo de Minas. Atualmente, o Poupança Jovem atende a alunos do ensino médio da rede estadual de escolas de nove municípios: Ribeirão das Neves, Esmeraldas, Ibirité, Governador Valadares, Sabará, Montes Claros, Teófilo Otoni, Juiz de Fora e Pouso Alegre. Desde 2007, quase 7 mil estudantes  já receberam a bolsa.

Mais informações: www.poupancajovem.mg.gov.br

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Aliança pela Vida capacita 20 mil profissionais para atuarem no combate às drogas

BELO HORIZONTE (12/12/2011) – Em uma iniciativa inovadora, o Estado capacitou 20 mil profissionais de diversas áreas para atuarem no combate às drogas, através do curso “Prevenção em Pauta”. A capacitação faz parte do programa Aliança pela Vida. Os certificados foram entregues nesta segunda-feira (12), durante cerimônia em Belo Horizonte.

Antônio Jorge de Souza Marques, secretário de Estado de Saúde de Minas Geraise coordenador do Comitê da Agenda Intersetorial de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas, afirmou que o programa busca envolver toda a sociedade para o enfrentamento do problema.

“Esta é uma iniciativa singular no país. Somos os primeiros a construir uma política intersetorial, envolvendo as Secretarias de Estado de Saúde, Defesa Social, Desenvolvimento Social e Educação. Isso porque compreendemos o aspecto amplo do problema e a necessidade de adesão da sociedade. Somente com a mudança de comportamento e do modo de olhar o problema avançaremos no combate às drogas”, disse.

Um dos objetivos do curso foi desenvolver o potencial de alunos de diferentes áreas, capazes de refletir sobre o papel da família e da sociedade na transformação dos usuários, promovendo a mudança do comportamento das pessoas. O curso também buscou revelar a dimensão do problema das drogas no processo saúde-doença e em questões como violência e corrupção.

Segundo Clóvis Eduardo Benevides, subsecretário de Política sobre drogas da Secretaria de Defesa Social, esta foi uma etapa importante na luta contra as drogas. “Encerramos hoje, a primeira etapa de um projeto audacioso e inovador. O Aliança pela Vida irá transformar o modo como os gestores públicos atuam e enfrentam o problema. Esta capacitação abre a jornada que iremos percorrer na luta contra as drogas, pois mobiliza profissionais e sociedade civil. Uma das etapas mais importantes é esta: convocar a sociedade para responsabilizar-se”, disse.

Para Mércia de Souza de Azevedo, gerente do Programa Educacional de Atenção ao Jovem (PEAS Juventude) e uma das tutoras, o curso tem um significado especial. Durante a cerimônia, ela narrou sua experiência na luta contra o tabaco. “Fui dependente de nicotina. Porém, recebi um ultimato, era preciso que eu largasse o cigarro para ministrar o curso. Eu queria muito participar e concordei com o desafio. Foi uma luta e tanto. Mas, no final, larguei o vício. Além disso, a minha experiência foi relatada durante uma das aulas e discutida. Os alunos puderam, então, compreender melhor o que se passa com um dependente químico”, contou.

Dinâmica inovadora

O curso teve início em setembro deste ano e utilizou a estrutura do Canal Minas Saúde, do Governo de Minas, uma das maiores redes de educação a distância do país. Foram utilizados recursos tecnológicos como transmissão de aulas gravadas pela TV nos pontos de recepção do sinal do Canal, que hoje totalizam mais de 11 mil pontos localizados em Estabelecimentos de Saúde, Escolas Estaduais, Centros de Referência de Assistência Social, Presídios e Unidades Sócias Educativas.

Os conteúdos abordados pelas aulas transmitidas na TV foram complementados através de materiais extras e atividades interativas desenvolvidas no Ambiente Virtual de Aprendizagem disponibilizados via web.

Para Luís Renato Braga, analista jurídico da Casa do Albergado Presidente João Pessoa, unidade prisional de regime aberto, o curso foi uma iniciativa importante. “O principal ponto foi a identificação das drogas (lícitas e ilícitas). A apresentação das redes de atenção, dos conceitos, etc. E tudo isso foi feito em um ambiente virtual acessível, com dinâmica de ensino moderna, vídeos bem produzidos”, avaliou. Durante a cerimônia, o secretário anunciou que o curso abrirá mais 30 mil vagas no próximo ano.

Aliança pela Vida

O combate às drogas é uma das prioridades do Governo de Minas. Com o objetivo de envolver diversos setores do governo para enfrentar o problema, foi lançado o programa Aliança pela Vida. Trata-se de uma parceria do estado com entidades da sociedade civil para fortalecer a luta contra as drogas e ampliar as ações e medidas de enfrentamento.

Para implantar efetivamente o programa, o governo determinou a aplicação de até 1% do orçamento de órgãos e secretarias do Estado que desenvolvam programas sociais a projetos de prevenção e combate às drogas. Apenas para 2011, estão previstos investimentos da ordem de R$ 70 milhões.

As ações do programa são voltadas ao atendimento de usuários, dependentes de drogas e seus familiares e à capacitação de profissionais de saúde, da área de assistência social e do sistema de defesa, atuando também na repressão ao tráfico de drogas.

Na primeira etapa, os recursos foram destinados a cinco ações principais. O curso “Prevenção em Pauta”, encerrado nesta segunda-feira, é parte destas ações. Para a área de saúde, o governador Antonio Anastasia autorizou medidas para viabilizar a ampliação dos “Centros de Atenção Psicosocial (CAPs)”, com instalação de 20 novas unidades. Atualmente, são 156 em atividade no Estado, destinados a acolher pessoas com transtornos mentais e estimulando a sua integração social e familiar. Os novos CAPs atenderão especificamente dependentes de álcool e outras drogas.

Em outros campos de atuação, faz parte a “Rua Livre de Drogas”, que transformará locais de consumo e de venda de drogas ambientes propícios a atividades culturais, esportivas e de lazer, inibindo o uso de drogas nesses locais.

O “SOS Drogas” que terá 20 atendentes qualificadas atender a quem procura o serviço, por meio do telefone 155. As “Equipes de Socorro Familiar”, formadas por psicólogo e assistente social, que atenderão familiares de usuários de drogas em casa.

Foi assinado também Edital Público de chamamento para seleção de cem projetos de entidades sociais. Elas receberão recursos de até R$ 70 mil do Governo de Minas para desenvolver ações de mobilização social nas áreas da educação e juventude.

Fonte: Agência Minas