Arquivos do Blog

eleições 2014: Aécio fortalece palanques no Nordeste

Eleições 2014: senador Aécio Neves (MG) está negociando a construção de palanques na região. Bahia deve ter palanque forte.

Eleições 2014

Fonte: O Globo 

Em desvantagem, Aécio fortalece palanque no Nordeste para 2014

Tucano deve priorizar alianças em seis estados, apesar de força de Dilma e Campos na região

Mesmo com o favoritismo do PT e da dupla Lula-Dilma Rousseff no Nordeste, e de contar agora com um adversário nordestino, o governador pernambucano Eduardo Campos (PSB), o PSDB do senador Aécio Neves (MG) está negociando a construção de palanques fortes na região para amenizar o carimbo de partido do Sul e Sudeste. Aécio ainda é pouco conhecido entre os nordestinos, mas seus articuladores sustentam que, no momento, ele tem palanques mais competitivos que Eduardo Campos.

Os tucanos sabem que em Pernambuco não tem como competir com Dilma e Eduardo, por isso tratam com prioridade as coligações na Bahia, Ceará, Sergipe, Piauí, Paraíba e Alagoas. Mas costuram também palanques nos demais estados do Nordeste. Os grandes problemas, por enquanto, são Maranhão e Rio Grande do Norte, onde o aliado DEM não sabe o que fazer com a reeleição da governadora Rosalba Ciarlini, que tem uma administração má avaliada e já andou muito próxima da presidente Dilma Rousseff.

— Aqui em Minas, um em cada dois votos dos eleitores inscritos será de Aécio. Faremos uma frente de 4 milhões de votos. Nenhum candidato, em nenhum estado, terá essa frente. A frente de Eduardo em Pernambuco será de 1,5 milhão de votos — avalia o ex-ministro Pimenta da Veiga, pré-candidato do PSDB ao governo de Minas e um dos coordenadores da campanha de Aécio. — Dilma pode ter boa votação em seis estados, mas sabe que nos maiores colégios eleitorais não terá. Em Minas e Pernambuco, ela não terá. No Rio, a aliança dela virou pó. Tradicionalmente, ganhamos no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Agora vamos reforçar o Nordeste.

Na Bahia, os tucanos contam com a reedição da ampla aliança que elegeu o democrata ACM Neto para a prefeitura de Salvador: o PMDB de Geddel Vieira LimaPSDBDEM e outras pequenas legendas. Geddel, que também quer ser candidato a governador, vê como positivo o cenário para Aécio no estado. O PSB deve lançar a senadora Lídice da Mata para dar palanque a Campos, e o prefeito ACM Neto, nome forte no estado, está fechado com Aécio.

— O caminho natural é repetirmos aqui a aliança da eleição de prefeito, com o PMDBPSDB e DEM. O PT está muito mal, muito rachado. O PT nacional nunca me procurou. Isso deve se definir dentro de uns 15 a 20 dias — prevê Geddel Vieira Lima.

No Ceará, o PMDB está em pé de guerra com o PT e mira no PSDB

No Ceará, onde o PMDB está em pé de guerra com o PT do líder José Guimarães e com os irmãos Cid e Ciro Gomes, o comando do PSDB não descarta uma aliança com o senador peemedebista Eunício Guimarães. Ele e o ex-senador Tasso Jereissatti são os nomes mais fortes para o governo e o Senado, segundo as pesquisas. Tasso não quer disputar o governo, mas já admite o Senado, podendo compor uma chapa com Eunício — neste caso, não daria palanque para Dilma.

— Tasso é o nome melhor avaliado para o que quiser. Ele não emergiu do nada. É um chefe político com liderança consolidada. Quando ele bater a mão na cumbuca, une a turma — diz o ex-deputado e membro do Diretório Nacional do PSDB, João Almeida (BA).

Na Paraíba, o vice-presidente do PSDB, senador Cássio Cunha Lima, pode sair candidato ao governo apenas para dar palanque a Aécio. Ele tem oito anos de mandato no Senado e não teria nada a perder. No Piauí, Aécio conta com um nome forte ao governo, do ex-prefeito de Teresina Sílvio Mendes, que lidera as pesquisas de intenção de votos para o governo.

Em Sergipe, o nome forte é do prefeito de Aracaju, João Alves (DEM). Em Alagoas, não existe ainda um candidato, mas a expectativa do PSDB é que qualquer nome lançado pelo governador tucano Teotônio Vilela dará um palanque competitivo para Aécio. Os grandes problemas de Aécio no Nordeste são o Rio Grande do Norte e Maranhão.

— Esses estados não são definidores de eleição. O que a tradição mostra é que nenhum candidato a presidente se elege se não vencer em Minas Gerais — diz Pimenta da Veiga.

Gestão Eficiente: Alagoas busca referência em Minas para estruturar Rede de Assistência à Saúde da Mulher

Gestores alagoanos visitam a sede da Secretaria de Saúde de Minas para buscar experiências aplicadas no Estado

Henrique Chendes / SES
Técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas realizam um aprofundando na sede da SES-MG
Técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas realizam um aprofundando na sede da SES-MG

Entre esta quarta (30) e quinta-feira (31), representantes da Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas visitam a sede da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para conhecer, de perto, o modelo de Gestão Pública adotado pelo Governo de Minas no setor – neste caso, especialmente, a Rede Integrada de Assistência à Saúde da Criança, da Mulher e do Adolescente.

As técnicas em Saúde da Mulher de Alagoas, Carla Pacheco, Syrlene Patriota e Valéria Santos, realizam um aprofundando em temas como, fluxo, programação e governança das Redes de Atenção à Saúde, importância da Atenção Primária, como Centro Coordenador da Rede, Programa Saúde em Casa, ações de combate à Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais, Rede de Atenção à Saúde da Mulher e da Criança no nível assistencial e hospitalar e Centros Integrados de Referência Secundária (Viva Vida e Hiperdia).

Nesta quinta-feira, as técnicas fazem uma visita ao Centro Integrado de Referência Secundária de Santo Antônio do Monte, referência mineira no atendimento nas áreas sexual, reprodutiva e atendimento à criança de risco e também no atendimento da hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e doença renal crônica.

De acordo com a médica reumatologista da Secretaria de Saúde de Alagoas, Syrlene Patriota, embora seu estado seja pequeno em extensão, passa por dificuldades para implementar uma Rede de Assistência à Saúde. “Começamos a articular a rede no ano passado e o modelo mineiro nos chamou muita atenção durante as apresentações do Ministério da Saúde. Percebemos que temos realidades semelhantes e que podemos fazer dar certo também”, afirma.

O secretário-adjunto da Secretaria de Saúde de Minas, Breno Henrique Avelar, que recebeu as técnicas de Alagoas, se sente orgulhoso com o fato de o Estado ser referência na Gestão em Saúde Pública. “Conseguimos fazer muita coisa por causa da continuidade do trabalho que começou a ser desenvolvido em 2003. Temos consciência de que falta muita coisa, mas já demos alguns passos”, destaca.

Rede Viva Vida

O Programa de Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais (Viva Vida), lançado em 2003, aposta na sistematização de ações e na parceria entre governo e sociedade civil organizada como principal arma no combate a mortalidade infantil e materna.

Para tanto, o Governo do Estado investe recursos na estruturação, qualificação e mobilização social da Rede Viva Vida, tendo implementado os Centros Viva Vida de Referência Secundária e as Casas de Apoio à Gestante, planejados para cobrir a deficiência de oferta na Atenção Secundária.

Os Centros organizam o atendimento especializado nas áreas de saúde sexual e reprodutiva e atendimento à criança de risco. A Casa de Apoio à Gestante é um local próximo das maternidades de referência em alto risco, onde as gestantes que residem longe permanecem antes do parto, sob cuidado qualificado, o que facilita o atendimento sempre que há necessidade.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alagoas-busca-referencia-em-minas-para-estruturar-rede-de-assistencia-a-saude-da-mulher/

Governo de Minas: Secretaria de Planejamento e Gestão apresenta modelo de meritocracia para o governo de Alagoas

A apresentação foi feita na reunião do Programa Alagoas Tem Pressa, em Maceió

Adriana Valério
A apresentação foi feita na reunião do Programa Alagoas Tem Pressa, em Maceió
A apresentação foi feita na reunião do Programa Alagoas Tem Pressa, em Maceió

A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, apresentou para o Governo de Alagoas, nesta segunda-feira (7), a estratégia governamental desenvolvida pelo Governo de Minas desde 2003, baseada na gestão para resultados e valorização dos servidores. A apresentação foi feita na reunião do Programa Alagoas Tem Pressa, em Maceió, presidida pelo governador daquele estado, Teotonio Brandão Vilela Filho.

Na abertura, Teotonio Vilela Filho destacou a importância de se trocar experiência com Minas. “Não é fácil criar novas formas de administração. E vocês fizeram isso muito bem. Lá (em Minas) como aqui nós sabemos que temos muito a fazer. Mas estamos confiantes. Temos determinação para avançar. E muito a aprender, trocar experiências”, afirmou.

A gestão de pessoas compõe um dos pilares da estratégia do Governo de Minas desde 2003. No modelo de meritocracia, várias ferramentas e ações foram implementadas, como o desenvolvimento das carreiras, a profissionalização dos gestores públicos, o Acordo de Resultados, o Prêmio por Produtividade e a avaliação de desempenho individual.

Como parte da política de recursos humanos, a secretária também destacou a certificação ocupacional como instrumento inovador. “Identificamos alguns cargos comissionados e criamos a obrigatoriedade da certificação para o preenchimento desses cargos, com base no conhecimento, nas atitudes. Os servidores certificados integram um banco de talentos”, afirmou.  Atualmente, dos cargos comissionados em Minas, aproximadamente 70% são ocupados por servidores de carreira.

O encontro contou com a participação do secretário de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico de Alagoas, Luiz Otávio Gomes, secretários de Estado e equipe técnica. “Minas é uma referência para o Brasil na questão da gestão, principalmente na gestão para resultados e no que diz respeito à meritocracia”, afirmou Gomes.

Evolução da gestão

O novo modelo de gestão implantado pelo Governo de Minas, em 2003,está em sua terceira geração. A primeira, conhecida como Choque de Gestão (2003/2006), correspondeu ao período de ajuste fiscal, revitalização do planejamento e retomada dos investimentos. Para acabar com o déficit, o Executivo estabeleceu a diretriz de gastar menos com o Estado para investir mais no cidadão. Em 2004, foram assinados os primeiros Acordos de Resultados.

De 2007 a 2010, na segunda geração conhecida como Estado para Resultados, o governo consolidou o acompanhamento de projetos nas secretarias e órgãos. O Acordo de Resultados foi ampliado e houve um desdobramento de metas para as equipes.

Na atual etapa, conhecida como Gestão para a Cidadania, o governo instituiu o conceito de redes transversais e intersetoriais para execução de programas. A sociedade civil passa a participar efetivamente e as estratégias e metas são estabelecidas de forma regionalizada. A Gestão para a Cidadania introduz o conceito de Estado em Rede, que prevê o trabalho integrado de diversas áreas temáticas para execução de programas e a regionalização das ações governamentais, com a participação da sociedade civil.

Acordo de Resultados

O Acordo de Resultados é uma iniciativa do Governo de Minas que busca garantir o alcance dos objetivos estratégicos traçados pela administração pública para a melhoria da vida do cidadão. Ele prevê metas estipuladas para cada equipe em consonância com os “indicadores finalísticos”, atrelados ao Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), que contempla objetivos de longo prazo até 2030.

“O Acordo de Resultados é o mais importante instrumento de alinhamento. Por meio dele é possível alinhar a estratégia de governo com as instituições e com os servidores”, destacou a secretária. Em troca do compromisso formal de cumprimento de indicadores e metas, os servidores são recompensados pelo Prêmio por Produtividade. No último prêmio, foram pagos R$ 507 milhões a 397 mil servidores que pactuaram e cumpriram as metas.

No encontro, a subsecretária de Gestão de Pessoas, Fernanda de Siqueira Neves, destacou que os servidores são envolvidos no processo de estabelecimento de metas. “Quanto maior a participação e o envolvimento das equipes na estratégia governamental, melhores os resultados”, afirmou.

Alagoas

O “Alagoas tem Pressa” foi lançado pelo Governo de Alagoas no início do ano passado. Semelhante ao modelo mineiro, compreende o planejamento estratégico do Estado, com 25 projetos estruturantes e 33 projetos setoriais prioritários. O objetivo do programa alagoano é reduzir a pobreza e melhorar os indicadores sociais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/secretaria-de-planejamento-e-gestao-apresenta-modelo-de-meritocracia-para-o-governo-de-alagoas/

Governo de Minas: Alberto Pinto Coelho assina convênio para acesso de municípios a recursos do Água para Todos

Assinatura ocorreu durante reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, em Recife

Aluísio Moreira / Ministério da Integração Nacional
Vice-governador Alberto Pinto Coelho assinou, em Recife, convênios com o Ministério da Integração Nacional
Vice-governador Alberto Pinto Coelho assinou, em Recife, convênios com o Ministério da Integração Nacional

O vice-governador Alberto Pinto Coelho assinou, nesta sexta-feira (27), em Recife (PE), convênios com o Ministério da Integração Nacional para acesso a recursos do Comitê Integrado de Combate à Seca e do Comitê Gestor do Programa Água para Todos, por parte de municípios do semiárido mineiro. A assinatura ocorreu durante a 14ª reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Participaram do encontro governadores do Nordeste e os vice-governadores de Minas Gerais e Espírito Santo.

“Ninguém mais contesta que o Nordeste vive hoje o melhor e maior período de desenvolvimento da sua história. Ninguém igualmente contesta que sobrevivem no Nordeste – incluindo a área mineira da Sudene – resistentes bolsões de pobreza. A criação do comitê integrado de combate à seca e do seu grande aliado, o comitê gestor do Programa Água para Todo é de grande importância”, salientou Alberto Pinto Coelho.

Por meio do Água para Todos,  estão disponíveis recursos da ordem de R$ 340 milhões para a instalação de cisternas, barragens e sistemas de abastecimento em municípios dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Maranhão e Minas Gerais. O programa, coordenado pelo Ministério da Integração Nacional, tem como objetivo a universalização do acesso à água a mais de 750 mil famílias. Coordenado pelo Ministério da Integração Nacional, o Água para Todos é parte do Plano Brasil Sem Miséria.

Durante a reunião, foi anunciada a criação de uma linha de crédito especial, com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), administrado pelo Ministério da Integração, destinada a produtores, empreendedores dos setores industrial, comercial e de serviços dos municípios com situação de emergência ou estado de calamidade reconhecidas pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, a partir de 01 de dezembro de 2011. As operações serão efetuadas por meio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) com objetivo de implementar ações de desenvolvimento econômico da região e combate à seca.

O secretário de Estado de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, Gil Pereira, que também participou da reunião da Sudene destacou a importância do programa Água para Todos. “É um programa de extrema importância que ajudará nossa região a enfrentar uma das maiores crises das últimas quatro décadas”, disse.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/alberto-pinto-coelho-assina-convenio-para-acesso-de-municipios-a-recursos-do-agua-para-todos/