Arquivos do Blog

Gestão em Minas: detentos de São Lourenço e Caxambu concluem curso de banho e tosa de cães

Estudos mostram que o trabalho de presos com animais diminui o nível de agressividade e aumenta seu senso de responsabilidade

Divulgação/Seds
Detentos de Caxambu exibem certificados de conclusão do curso
Detentos de Caxambu exibem certificados de conclusão do curso

Vinte detentos dos presídios de São Lourenço e Caxambu, na região Sul do Estado, concluíram, este mês, o Curso de Banho e Tosa, ministrado pela psicóloga e adestradora de cães Célia Marcondes. Em São Lourenço, oito presos participaram do projeto. As aulas teóricas aconteceram dentro da própria unidade e as práticas, no canil municipal São Francisco de Assis, que foi reformado no ano passado pelos próprios detentos. No último dia do curso, houve a entrega de certificados, que contou com a presença dos familiares dos acautelados.

Já em Caxambu, 12 presas participaram do curso, que aconteceu entre 27 de fevereiro e 2 de março. As aulas teóricas também aconteceram na unidade e as práticas em uma clínica veterinária próxima ao presídio.

Segundo a psicóloga Célia Marcondes, estudos norte-americanos mostram que o trabalho de presos com animais diminui o nível de agressividade dos detentos e aumenta seu senso de responsabilidade. “A proximidade entre um presidiário e o animal acaba sendo benéfica para os dois lados: tanto os cães são higienizados quanto os presos aprendem uma nova atividade, o que contribui para uma possível reinserção no mercado de trabalho”, completou. A atividade faz parte do projeto Cão Amigão, uma iniciativa da própria psicóloga, que desenvolve campanhas, palestras, feiras e cursos sobre animais em Minas Gerais e São Paulo.

Para o secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, iniciativas como essa reforçam o compromisso do Governo do Estado em investir na humanização do Sistema Prisional, por meio do ensino de ofícios variados. “Minas é hoje o Estado que tem, proporcionalmente à população carcerária, mais presos trabalhando e estudando no país”, destaca.

Trabalho

Atualmente, cerca de 12 mil presos trabalham enquanto cumprem pena em todo o Estado de Minas Gerais. Pelo trabalho, eles recebem remição de pena – a cada três dias trabalhados, um a menos no cumprimento da sentença – e, em muitos casos, remuneração.

No Presídio de São Lourenço são cerca de 100 detentos trabalhando interna e externamente, em atividades, como artesanato, produção de papel de balas e bombons para festas, fabricação de blocos, reforma e limpeza urbana. Já em Caxambu, são quase 50 presos trabalhando enquanto cumprem pena.

Fonte: Agência Minas