Arquivos do Blog

Gestão Anastasia: simulado coloca em prática ações de combate a incêndios florestais em Minas

Reservas ambientais de diversas regiões do Estado irão abrigar atividades, que reproduzem condições reais de combate ao fogo

Gil Leonardi / Imprensa MG
Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com os Bombeiros, realizou simulado na Serra do Rola Moça
Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com os Bombeiros, realizou simulado na Serra do Rola Moça

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) vem realizando Simulados Operacionais de Combate a Incêndios Florestais em reservas ambientais de Minas. Na última sexta-feira (11) os trabalhos foram realizados no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Já nesta sexta-feira (18), o simulado ocorrerá no Parque Estadual da Serra do Papagaio, no Sul de Minas.

O trabalho reproduz todas as condições de um combate ao fogo, desde a identificação dos sinais de fumaça, emissão dos primeiros alertas até a confirmação de um incêndio florestal de grande porte e que exija a participação da Força-Tarefa do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio).

A atividade é conduzida por integrantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e do Corpo de Bombeiros Militar, além de técnicos do Previncêndio e do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Cerca de 60 pessoas participam das simulações, com utilização de todos os equipamentos habitualmente empregados no combate ao fogo, incluindo helicópteros. Também participam da atividade aPolícias Militar e a Polícia Civil de Minas Gerais, além da Copasa e brigadistas voluntários.

O Simulado Operacional é uma importante etapa de preparação e envolve as diversas organizações parceiras da Força-Tarefa Previncêndio, que coordena os esforços para o combate a incêndios florestais, especialmente durante o período mais seco do ano, que vai de junho a outubro. A atividade também é uma aplicação prática do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do Parque.

Também estão previstas as realizações de simulados para combate a incêndios florestais no Parque Estadual do Biribiri, no Alto Jequitinhonha, no próximo dia 24; no Refúgio de Vida Silvestre do Rio Pandeiros Norte, na região do Alto Médio São Francisco, no dia 31 deste mês; e no Refúgio de Vida Silvestre Libélulas da Serra de São José – Centro-Sul, em Tiradentes, no dia 06 de junho.

Plano de Ação 2012

O simulado operacional é uma das inovações do Plano de Ação 2012 para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, desenvolvido pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O investimento previsto é de cerca de R$ 26 milhões em 2012.

O plano é composto por seis programas operacionais: prevenção e controle, capacitação, combate, infraestrutura e logística, comunicação, fiscalização e investigação. Prevê, também, a execução de um plano estratégico de abrangência em grandes áreas para ser executado com prazo superior a um ano. Os objetivos principais do trabalho são reduzir o número de incêndios florestais nas unidades de conservação e dar respostas rápidas no combate às queimadas.

O programa de prevenção prevê a implementação de ações para reduzir as causas e os riscos de propagação do fogo, especialmente aquelas causadas pelo homem. O uso correto de técnicas, como construção de estradas, aceiros, divisão da área em quadrantes, entre outras, permitirá uma redução das ocorrências com essa origem.

A capacitação é ampla e envolve a todos que participam dos trabalhos de controle dos incêndios, sejam os responsáveis pela elaboração e execução do plano de prevenção, sejam os combatentes que atuam na linha de fogo.

Os planos e estratégias de combate são estabelecidos em função do tamanho do incêndio e dos meios disponíveis. No entanto, o objetivo maior desse programa é que os incêndios possam ser controlados e dominados antes que atinjam grandes proporções. Em relação à infraestrutura e logística, um combate eficaz exige que os brigadistas estejam bem treinados e equipados.

O programa de comunicação visa à diminuição do tempo de resposta, que fica compreendido entre a detecção do fogo e o recebimento da informação pelo responsável pelo desencadeamento das ações de combate. Já a fiscalização e a investigação precisam ser trabalhadas dentro do plano, pois a origem criminosa das ocorrências de queimadas cria frentes de incêndios muito amplas e difíceis de combater em condições climatológicas favoráveis à sua propagação.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/simulado-coloca-em-pratica-acoes-de-combate-a-incendios-florestais-em-minas/

Anúncios