Arquivo da categoria: Governo de Minas

Gestão da Educação: escola em Juiz de Fora lança campanha “Tolerância urgente: respeite o diferente”

Palestras, apresentações de trabalhos e discussões em sala de aula incentivam os alunos a respeitar o próximo

divulgação SEE
Monitores ajudam a a boa convivência na hora do recreio
Monitores ajudam a a boa convivência na hora do recreio

Tolerância, esse é o tema trabalhado por alunos, professores e funcionários da Escola Estadual Bernardo Mascarenhas em Juiz de Fora, Zona da Mata. A escola que é vinculada a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais, lançou a campanha “Tolerância urgente: respeite o diferente”, que foca na necessidade de respeitar o próximo e suas diferenças. Diversas atividades sobre o tema estão sendo realizadas na primeira quinzena deste mês.

“No dia-a-dia percebemos a banalização da vida, em que atos fúteis acabam em ações violentas, simplesmente pela falta de tolerância das pessoas. Com base nessas observações e, em conversa com a direção da escola, pensamos em montar um projeto sobre o tema”, explica a supervisora da escola, Tânia Aparecida Moreira.

O programa de atividades da campanha inclui palestras sobre as diferentes culturas, a discriminação racial, a opção sexual, o deficiente visual, físico e auditivo, o idoso e o soro positivo que são conduzidas por especialistas e profissionais no assunto. Após as palestras, alunos e professores continuam as discussões em sala, com a produção de textos, cartazes e desenhos que serão expostos no encerramento da campanha. A exposição será aberta a toda a comunidade.

O projeto ganhou a adesão de parceiros como a prefeitura municipal, defensores e estudiosos dos temas transformando assim, o ‘Tolerância urgente: respeite o diferente’ em uma campanha na cidade. “Quando começamos a desenvolver o projeto ganhamos a simpatia da prefeitura e de parceiros. Sabemos que tudo começa pela escola, nós somos os grandes responsáveis pela mudança. É um trabalho de formiguinha, mas se cada um fizer a sua parte seremos um batalhão. É uma semente que vai inchando até germinar”, avalia Tânia Aparecida.

Para Paula da Silva Oliveira, estudante do 9º ano do ensino fundamental, a campanha é uma forma de motivar a mudança de hábitos entre as pessoas. “Tanto na escola, como na rua, há muitas pessoas diferentes convivendo. Muitas vezes julgamos as pessoas pela aparência e não pelo o que ela é, e o projeto ajuda a valorizar a pessoa pelo o que ela é”, lembra.

De estudante para estudante

Saber respeitar e conviver com as diferenças não é o único gesto de cidadania que uma pessoa pode exercer. A Escola Estadual Bernardo Mascarenhas, também promove outro projeto chamado ‘Representante de Turma e Monitor da Escola 2012’. Por meio dessa ação, os alunos elegem os colegas que vão auxiliar no monitoramento do recreio, na representação das turmas em eventos internos e externos e na liderança frente à turma.

Para a supervisora da escola, a ideia de colocar estudantes para orientar os colegas na adoção de boas práticas dentro do ambiente escolar tem apresentando bons resultados. “Mensalmente fazemos um lanche com todos os representantes para conversar e avaliar as ações do projeto. Percebo que os nossos representantes estão satisfeitos com isso. Eles falam a linguagem dos outros alunos, então, a comunicação fica muito mais fácil. Com o projeto deixamos de ter desentendimentos entre os alunos no recreio”, ressalta a professora.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/escola-em-juiz-de-fora-lanca-campanha-tolerancia-urgente-respeite-o-diferente/

Anúncios

Gestão em Minas: cooperação entre Fundação João Pinheiro e Tribunal de Contas irá subsidiar novas pesquisas

Parceria prevê o acesso mútuo às bases de dados sobre as finanças públicas do Estado e dos municípios mineiros

A Fundação João Pinheiro e o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais reafirmaram parceria, iniciada em 2009, com a assinatura de um novo Termo de Cooperação Técnica. A iniciativa tem como objetivo o intercâmbio de informações públicas constantes dos bancos de dados de ambas as instituições.

O documento assinado prevê o acesso mútuo às bases de dados sobre as finanças públicas do Estado e dos municípios mineiros, bem como a capacitação de técnicos do Tribunal para a criação de índices e indicadores que demonstrem o desempenho da administração pública em Minas Gerais.

“O Tribunal de Contas dispõe de um valioso banco de dados, que precisa ser colocado à disposição da sociedade e conseguiremos fazer isto com o apoio da Fundação João Pinheiro”, observa o Conselheiro Presidente do Tribunal, Antônio Carlos Doorgal de Andrada.

O Termo de Cooperação visa também a criação de uma equipe multidisciplinar voltada para a realização de pesquisas científicas que irão abranger a criação de indicadores e índices de desempenho, além da implementação de ferramentas que facilitem a verificação do cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal e a obtenção de elementos para definição e análise das estruturas de receitas das Administrações Públicas Estadual e Municipais de Minas Gerais.

“A combinação de expertises dos técnicos das áreas finalísticas das duas instituições irá permitir a otimização das análises dos dados do acervo do Tribunal e, ao mesmo tempo, permitir que a Fundação tenha acesso a um extenso repositório de informações que irá complementar estudos como o Índice Mineiro de Responsabilidade Social (IMRS) e Lei Robin Hood, entre outros”, afirma a presidente da Fundação João Pinheiro, Marilena Chaves.

A parceria tem ainda como metas gerar informações sobre atividades empresariais do setor público municipal e estadual, realizar levantamentos cadastrais sistemáticos das entidades do setor público municipal e facilitar a fiscalização do cumprimento das leis que regem a distribuição da parcela da receita do produto da arrecadação do ICMS pertencente aos municípios (Leis Estaduais nº 13.803/2000 e nº 18.030/2009).

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/cooperacao-entre-fundacao-joao-pinheiro-e-tribunal-de-contas-ira-subsidiar-novas-pesquisas/

Governo de Minas: fossas ecológicas são implantadas em propriedades de Varginha

Equipamento idealizado pela Emater é solução de baixo custo em saneamento e proteção do Meio Ambiente

Agricultores familiares do município de Varginha, Sul de Minas, encontraram uma alternativa econômica para solucionar problemas de saneamento e evitar prejuízos ao meio ambiente em suas propriedades. Com incentivo da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), que implantou uma Unidade Demonstrativa no município, os produtores estão instalando “fossas ecológicas”.  A ideia é reduzir a contaminação do lençol freático, com economia na construção da obra.

A fossa da Emater-MG tem três metros de comprimento, dois de largura e um metro e meio de profundidade. Cada uma custa cerca de R$500, valor menor do que um modelo industrial, que chega a custar quase R$5 mil. “É uma fossa de baixo custo e fácil construção. O material utilizado é facilmente encontrado e não requer mão de obra especializada”, diz o coordenador técnico regional de Meio Ambiente da Emater-MG de Alfenas, Antônio Henrique Pereira.

Além de ser mais barata, a fossa ecológica evita a contaminação do lençol freático. O interior da fossa é impermeabilizado com uma fina camada de cimento, evitando que os dejetos entrem em contato com o solo e contaminem o lençol freático.

Com o local devidamente cimentado, são colocados brita, areia, entulhos, e forma-se um túnel com pneus velhos. A fermentação da matéria orgânica acontece dentro desse túnel e é anaeróbia (sem oxigênio). Uma outra fermentação, dessa vez aeróbia (com a presença de oxigênio), acontece na zona de absorção das raízes de plantas cultivadas sobre a fossa. De acordo com o extensionista do Escritório da Emater–MG em Varginha, Luiz Geraldo Rezende Reis, os gases absorvidos pelas plantas são liberados na atmosfera, sem cheiro ou contaminação do ambiente. No caso da Unidade montada pela Emater–MG, sobre a fossa foi implantada uma lavoura de inhame.

O extensionista também explica que a fossa ecológica não pode receber gordura nem excesso de água. Dessa forma, a água utilizada no chuveiro e na pia deve ser direcionada para outro local para o tratamento adequado. “A gordura atrapalha os processos de fermentação e evaporação”, diz Luiz Reis.

Depois de conhecerem a Unidade Demonstrativa da Emater–MG, agricultores do município de Varginha optaram pela fossa ecológica. Ao todo são 112 famílias da comunidade dos Martins. Até abril deste ano já foram construídas 60 fossas. Os recursos para as obras foram conseguidos pela União dos Pequenos Produtores de Cafés Especiais dos Martins (Unicafem). A Emater–MG tem orientado os produtores sobre os principais benefícios da fossa ecológica por meio de eventos e visitas técnicas. O objetivo é tornar a prática cada vez mais conhecida e utilizada.

“Com a adoção da fossa ecológica, o produtor rural dará o destino adequado ao esgoto sanitário, entulhos, pneus e estará contribuindo para a melhoria da qualidade da água superficial e subterrânea. Evitará ainda a contaminação do solo e a propagação de doenças, contribuindo para a melhoria do meio ambiente e para a saúde de sua família”, diz o coordenador Antônio Henrique Pereira.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/fossas-ecologicas-sao-implantadas-em-propriedades-de-varginha/

Gestão Anastasia: governo de Minas beneficia famílias do Norte do Estado com projeto de abastecimento de água

Por meio do Minas Sem Fome, moradores de Francisco Sá passam a contar com água encanada

A falta de água, por muitos anos, foi uma realidade na vida das famílias da comunidade São Geraldo, no município de Francisco Sá, região Norte de Minas. Um novo tempo, porém, surge para esses moradores, por meio da implantação do Projeto de Abastecimento de Água de São Geraldo – programa do Governo de Minas, coordenado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

O projeto foi implantado em abril deste ano e beneficia 256 famílias. Para levar água até as casas dos moradores da comunidade foi montada uma rede de 22 quilômetros de tubulação. Também foram instalados quatro reservatórios de 100 mil litros, duas bombas para a captação de água e um hidrômetro em cada residência. O valor do investimento chega a R$1 milhão. Os recursos são do programa Minas Sem Fome e da Prefeitura de Francisco Sá.

“Esperamos que esse projeto solucione o problema com falta de água que os moradores da comunidade enfrentavam. Além disso, a partir de agora as famílias terão mais qualidade de vida”, diz o extensionistas da Emater-MG em Francisco Sá, José Eustáquio Barbosa. No dia 6 de maio, será realizada a cerimônia de inauguração do projeto na cidade.

Minas Sem fome

O Minas Sem Fome é um iniciativa do Governo de Minas, executado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, por meio da Emater–MG, com apoio das prefeituras. O objetivo é implementar ações que contribuam para a inclusão da população de baixa renda no processo produtivo, especialmente agricultores familiares. O programa incentiva a produção de alimentos, agregação de valor e geração de renda, visando à melhoria de suas condições de segurança alimentar e nutricional. A Emater–MG é responsável pela mobilização dos agricultores, assistência técnica, compra e distribuição dos insumos.

Até dezembro de 2012, o Minas Sem Fome deverá atender, em Minas Gerais, 187.860 famílias de agricultores familiares com ações para incrementar as atividades de lavoura, pomares, hortas, apicultura, piscicultura, avicultura, produção de leite, feiras livres, gestão de projeto e apoio a agricultura familiar. A meta financeira para todo o programa este ano é de R$ 4,76 milhões. Os recursos são provenientes do governo de Minas Gerais.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/governo-de-minas-beneficia-familias-do-norte-do-estado-com-projeto-de-abastecimento-de-agua/

Governo de Minas: população de Ewbank da Câmara recebe UBS

Investimento na obra foi de cerca de R$ 763 mil, em parceria com a prefeitura

Henrique Chendes
Secretário de Saúde, Antonio Jorge, entregou a unidade em nome do Governo de Minas
Secretário de Saúde, Antonio Jorge, entregou a unidade em nome do Governo de Minas

O Governo de Minas entregou à população de Ewbank da Câmara, na Zona da Mata, uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS) Tipo I. O Centro Municipal de Saúde Líbero da Cunha atenderá toda a população de quase 4 mil moradores em diversas especialidades como fisioterapia, genecologia, pediatria, ortopedia, cardiologia e urologia.

Para a obra, foram investidos R$ 763,4 mil, sendo R$ 300 mil provenientes do programa Saúde em Casa, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), e outros R$ 463 mil de contrapartida do município.

Durante solenidade de inauguração, o Secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, falou da importância desse novo equipamento de saúde para a população. “O SUS tem ainda os seus desafios e todos sabemos disso, mas hoje, quem utiliza desse serviço em Ewbank da Câmara, sabe que o SUS está muito melhor do que ontem e no amanhã estará melhor do que hoje. Apesar dos poucos recursos, as coisas acontecem em Ewbank e isso é reflexo de uma boa gestão”.

O prefeito de Ewbank da Câmara, Paulo Mendes Soares, elogiou o trabalho e parceria com o Governo de Minas no setor. ”É uma obra que deve ficar para a memória da cidade. O Governo de Minas tem implementado grandes parcerias em saúde. Além desta UBS, que será de grande utilidade, o Estado também nos apóia com veículos e transporte”, destacou o administrador.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/populacao-de-ewbank-da-camara-recebe-ubs/

Governo de Minas: exportações mineiras de carne suína batem recorde no trimestre

Receita cresceu 218,3% em relação à registrada em 2011

A receita das exportações mineiras de carne suína alcançou US$ 24,7 milhões no primeiro trimestre de 2012, aumento de 218,3% em relação à cifra de 2011. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e foram analisados pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

O valor médio da carne exportada foi recorde: US$ 2,7 mil a tonelada, aumento de 11,1% ante o registrado há um ano, informa a assessora técnica Márcia Aparecida de Paiva Silva, da Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea). Já o volume embarcado (9 mil toneladas) apresentou crescimento de 186,4% na comparação com o acumulado de janeiro a março de 2011.

Márcia diz que o comportamento das exportações mineiras de carne suína foi superior ao registrado pelo Brasil. “Entre o primeiro trimestre de 2011 e o de 2012, as exportações brasileiras de carne suína ficaram praticamente inalteradas, com incremento de 1,3%. Dessa forma, entre os dois períodos, a participação de Minas nas exportações brasileiras de carne suína  passou de 2,5% para 8,0%”, afirmou.

Recuperação

O bom desempenho das exportações mineiras de carne suína em 2012 mostra a recuperação do segmento diante dos resultados negativos do ano anterior. Segundo Márcia Silva, em 2011, embora as exportações agregadas do agronegócio tenham registrado recorde, as vendas externas de carne suína não obtiveram resultados animadores.

No primeiro trimestre de 2012, o aumento das exportações foi beneficiado por fatores como a ampliação do valor médio e o aquecimento das compras dos mercados de destino. “Houve também o crescimento do número de importadores. Entre os primeiros três meses de 2011 e 2012, o número de países de destino da carne originária dos frigoríficos mineiros passou de 18 para 21”, informou a assessora.

Além do maior número de países compradores houve significativa expansão do montante dos principais importadores. A Rússia, que foi o principal país de destino em 2012, expandiu suas importações da carne suína mineira em 2.928,9%, que atingiram US$ 11,3 milhões.

O Estado de Minas Gerais não foi afetado pelo embargo da Rússia, deflagrado em junho de 2011, que afetou as plantas frigoríficas do Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Paraná.

Os países que seguiram a Rússia no ranking dos principais destinos – Hong Kong, Ucrânia e Albânia – também registraram individualmente um incremento nas compras. Os quatro principais mercados citados, juntos, somaram 90,0% da receita de vendas externas de Minas Gerais.

No grupo dos produtos que compõem o segmento de carne suína, a carne congelada respondeu por maior participação, referente a 93,0%, e a receita de vendas chegou a US$ 23,0 milhões. A cifra é 235,4% superior à obtida no primeiro trimestre de 2011.

Entre os primeiros três meses de 2011 e 2012, a participação de Minas no ranking dos principais Estados exportadores da carne suína congelada passou de 2,8% para 9,3%. Com essa evolução, o Estado deixou o sétimo lugar para ocupar o quarto entre os maiores exportadores.

Os problemas decorrentes dos embargos comerciais como da Rússia e, recentemente, da Argentina não afetaram as vendas externas dos frigoríficos mineiros, acrescenta Márcia Silva. “Esse fato é positivo para o mercado estadual, uma vez que o embargo à carne resulta em aumento da disponibilidade de produto no mercado interno, que pressiona as cotações para baixo. Assim, os produtores sofrem prejuízos pela perda de mercado e pela menor remuneração de seus produtos”, finalizou.

Carne suína/MG: vendas aquecidas

Exportações janeiro-março: US$ 24,7 milhões

Aumento de 218,3%

Preço médio: US$ 2,7 mil a t (+11,1%)

Embarques: 9 mil t (+186,4%)

Principal destino, Rússia: US$ 11,3 milhões

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/exportacoes-mineiras-de-carne-suina-batem-recorde-no-trimestre/

Gestão Anastasia: apoio do Governo de Minas assegura bom desempenho da Seleção Mineira de Xadrez

Com recursos da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, equipe conta com treinamento on-line

SEEJ / Divulgação

Recursos da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte – benefício concedido pelo Governo de Minas – estão assegurando a participação da Seleção Mineira de Xadrez em competições nacionais e internacionais. Formada por 16 atletas, a equipe mineira conta com o apoio financeiro da Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (SEEJ), por meio da Lei de Incentivo, criada para alavancar as atividades desportivas e a formação de novos atletas em Minas Gerais.

Segundo a presidente da Federação Mineira de Xadrez, Luciene Sepúlveda, os enxadristas da Seleção Mineira dispõem, agora, de recursos para participação em diversas competições. Com o incentivo, eles pagam a inscrição dos atletas nos torneios, o transporte, a alimentação e hospedagem. Por meio do benefício, a federação recebeu, em agosto de 2011, recursos da ordem de R$ 120 mil, provenientes de incentivos fiscais concedidos para empresas inscritas na dívida ativa do ICMS, e, como contrapartida, investiu outros R$ 14 mil.

“Diante disso, alcançamos vitórias expressivas, como a de Frederico Gazel, que conquistou o torneio de Blitz do 11º Aberto Internacional da República Tcheca de Xadrez”, afirmou Luciene Sepúlveda. Ela explica que antes de receber os recursos, “pouquíssimos atletas podiam competir nacionalmente e internacionalmente”. “Com o apoio do Governo de Minas, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, nossa realidade mudou. Hoje contamos com treinadores como os grandes mestres Darcy Lima e Everaldo Matssuura, e o mestre internacional Roberto Molina, além de outros professores competentes para treinar nossa equipe”, destaca.

Os atletas mineiros contam, ainda, com aulas on-line. Os treinamentos dos enxadristas e dos professores acontecem uma vez por semana. “Os enxadristas entram em um site e disputam partidas virtuais com pessoas do mundo todo. Depois disso, eles encaminham o relatório da partida ao seu treinador, que faz uma análise das jogadas e apresenta o que ele fez de certo e o que poderá ser melhorado”, explica Luciene. A próxima etapa de treinamentos serão as aulas presenciais, que acontecerão nos dias  26 e 27 de maio, em Belo Horizonte, e em São Sebastião do Paraíso, no Sul de Minas. Ao todo, serão 18 horas/aula.

Equipe

A Seleção Mineira de Xadrez é formada pelos atletas Frederico Gazel, Lucas Crespo de Oliveira, Arthur Gontijo Chiari, Fernanda Rodrigues dos Santos, Igor Silva Mota, Gabriela Marques, Amanda Cordeiro e Gênesis Martins Borges, todos de Belo Horizonte, e Gerson Peres Batista, Erlon Cesar Braghini, João Paulo Marques, de São Sebastião do Paraíso, Ezequias Pereira, de Machado, Mariana Teixeira, de Formiga, Marina de Aguiar e Lucas rocha, de Nova Resende, e Ana Clara Gonçalves, de Itaúna. Para integrar a equipe, esses enxadristas participaram de uma seletiva, realizada no ano passado, e foram os melhores em suas categorias.

Envio de projetos

O Diretor de Desenvolvimento de Programas e Projetos da Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude, Antônio Eduardo Viana Miranda, informa que mais de R$ 1 milhão estão disponíveis a entidades que desejam receber investimentos para projetos esportivos aprovados nos termos da Lei de Incentivo.

Podem pleitear recursos instituições de direito civil sem fins lucrativos que estejam em pleno e regular funcionamento e que possuam titulação de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) ou tenham sido declaradas de utilidade pública por lei municipal, estadual ou federal. Os projetos podem ter duração inferior ou superior a um ano.

Os projetos desportivos poderão ser enviados à Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (SEEJ) durante todo o ano. Os interessados podem acessar o link Lei Estadual de Incentivo ao Esporte ou ligar para a Diretoria de Desenvolvimento de Programas e Projetos nos telefones (31) 3915-4686 e (31) 3915-4688 para outras informações.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/apoio-do-governo-de-minas-assegura-bom-desempenho-da-selecao-mineira-de-xadrez/

Governo de Minas: detentos de Araxá recebem qualificação profissional

Os presos estão fazendo os cursos de pedreiro de alvenaria e de pintor predial

Vinte detentos do presídio de Araxá, no Alto Paranaíba, receberam uma oportunidade para mudar de vida por meio da qualificação profissional. Os presos, selecionados pela Comissão Técnica de Classificação (CTC) da unidade, por boa conduta e habilidade para o trabalho, realizam, desde o dia 19 de março, os cursos de pedreiro de alvenaria e de pintor predial. A iniciativa é fruto de uma parceria entre as Secretarias de Estado de Trabalho e Emprego (Sete) e de Defesa Social (Seds), com a Prefeitura Municipal de Araxá.

As aulas práticas dos cursos, que fazem parte do Plano Territorial de Qualificação em Minas Gerais (PlanteQ-MG), estão sendo ministradas na unidade de atendimento ao trabalhador do Sine de Araxá onde os detentos estão “colocando a mão na massa” com a reforma das instalações. Os cursos têm duração de 200 horas cada. Além dos detentos, vinte trabalhadores do município estão realizando o curso de eletricista predial e participando da reforma da unidade do Sine.

Trabalho

A capacitação vai trazer oportunidade de trabalho para os presos após o cumprimento da pena e até mesmo durante o período em que estiverem detidos. Atualmente, cerca de 120 detentos trabalham enquanto cumprem pena no Presídio de Araxá. Por meio de diversas parcerias, os presos trabalham com construção civil, jardinagem, plantação, cultivo de mudas, capina e artesanato.

Em todo o Estado, cerca de doze mil presos trabalham. Pelo trabalho, os detentos recebem redução da pena – a cada três dias trabalhados, um a menos na sentença a ser cumprida – e, em muitos casos, são também remunerados.

Sine

Atualmente existem em Minas 132 Unidades de Atendimento ao Trabalhador do Sine, coordenadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego, que prestam serviços totalmente gratuitos de intermediação de mão de obra (cadastro de empresas para oferta de vagas e cadastro e encaminhamento de trabalhadores para oportunidades de trabalho); habilitação e postagem do seguro-desemprego; cadastro e encaminhamento do trabalhador para programas de qualificação profissional e também de competências básicas para o trabalho; emissão das Carteiras de Trabalho e Previdência Social.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/detentos-de-araxa-recebem-qualificacao-profissional/

Gestão Anastasia: Rede Minas lança concurso cultural Anima Aí

O vídeo mais votado vai aparecer em matérias especiais na programação da TV

A Rede Minas lança o concurso cultural Anima Aí, que tem por objetivo divulgar os 12 curtas-metragens produzidos por alunos da Escola de Design da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG). A partir desta sexta-feira (27), as produções vão estar disponíveis no canal da Rede Minas no YouTube – http://www.youtube.com/redeminas, para votação. O concurso começa no dia 27 de abril e vai até 27 de maio.

Quem desejar participar, deve assistir a pelo menos um dos vídeos do concurso e clicar no botão “Gostei” do YouTube. O vídeo mais votado vai aparecer em matérias especiais sobre os bastidores e entrevistas com os realizadores na programação cultural da Rede Minas. Os vídeos podem ser divulgados também pelo twitter, com a hashtag #animaai.

O Anima Aí é uma parceria da Rede Minas com a Escola de Design da UEMG e envolve os alunos da disciplina “Materiais e Processo de Produção III”, ministrada pelo professor orientador do projeto, Leonardo Dutra. Os curtas são voltados para o público infantil e fazem parte da Interprogramação Infantil da Rede Minas.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/rede-minas-lanca-concurso-cultural-anima-ai/

Governo Anastasia: recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos cresce 26% em Minas Gerais

Foram devolvidas 945 mil toneladas de embalagens de agrotóxicos vazias

Os agricultores mineiros devolveram 945 mil toneladas de embalagens de agrotóxicos vazias aos postos de recolhimento do Estado, de janeiro a março deste ano. O índice é 26% maior que o do ano anterior, que foi de 748 mil toneladas. Segundo dados do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), Minas foi o quinto estado a dar destinação correta aos recipientes, ficando atrás de Mato Grosso, São Paulo, Paraná e Goiás.

O diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Altino Rodrigues Neto, salienta a importância desta ação. “O recolhimento das embalagens de agrotóxicos é de extrema importância, pois evita que este resíduo, potencialmente poluidor, contamine o solo e a água podendo causar doenças graves. Além disso, todo material recolhido é reciclado por uma empresa especializada, o que diminui os impactos ambientais”, afirma.

Após a utilização do produto, a embalagem deve ser lavada três vezes (tríplice lavagem) e inutilizada com perfurações no fundo do frasco. Também deve ser armazenada em local apropriado até que seja devolvida no prazo de um ano a uma unidade de recebimento indicada pelo estabelecimento onde foi adquirido o agrotóxico.

O recolhimento das embalagens vazias de agrotóxicos é obrigatório, previsto em lei desde o ano 2000. A destinação final das embalagens é obrigação das indústrias, mas o revendedor precisa ter um local adequado para armazenar o produto. As especificações técnicas incluem pontos como o cuidado com o chão, que deve ser impermeabilizado para evitar vazamento de resto de agrotóxico. E o agricultor deve cumprir sua obrigação, levando as embalagens vazias para os postos de recolhimento. Dessa forma, estará colaborando para a conservação ambiental.

É responsabilidade do IMA a fiscalização das revendas mineiras onde os produtos são estocados e vendidos e das propriedades rurais, para verificar se os produtores estão devolvendo as embalagens corretamente. Durante o ano de 2011 foram fiscalizados 3.738 estabelecimentos comerciais e 5.470 propriedades rurais, totalizando 9.208 fiscalizações.

Audiência Pública

Os malefícios causados pelo uso abusivo de agrotóxicos aos trabalhadores rurais, bem como aos consumidores é o tema da audiência pública que a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizará nesta sexta-feira (27), às 10h, em Belo Horizonte. Esta audiência foi proposta pelo deputado Pompílio Canavez.

O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, Nataniel Nogueira, estará presente para apresentar o cenário mineiro com relação a fiscalização de agrotóxicos no Estado.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/recolhimento-de-embalagens-vazias-de-agrotoxicos-cresce-26-em-minas-gerais/