Arquivo da categoria: Eleições 2012

Aécio: Nordeste – senador diz que oposição está mais forte

Aécio diz que PSDB se reinseriu no Norte e Nordeste. Proposta é mostrar ao Brasil uma visão moderna de gestão pública eficiente.

Aécio: Eleições 2012

Aecio: Facebook – visite a página: O endereço do perfil é http://www.facebook.com/AecioNevesOficial

Fonte: PSDB MG

O senador Aécio Neves, que esteve em São Luis, para fazer campanha para João Castelo comentou sobre as últimas declarações do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, réu do mensalão e condenado pelo STF por formação de quadrilha. Aécio comentou ainda que o PSDB nas eleições 2012 está mais fortalecido no Norte e Nordeste.

Aécio Neves – Primeiro, em respeito aos momentos difíceis por que passa José Dirceu, eu não vou respondê-lo. As preocupações de José Dirceu hoje não são mais políticas, estão em outra ordem. Vou continuar fazendo e discutindo política.

Quanto aos resultados do primeiro turno dessas eleições, o fato mais consistente é que o PSDB e as oposições se reinseriram no Nordeste e no Norte do país de forma muito vigorosa. Já no primeiro turno, vencemos a prefeitura de duas capitais, Aracaju e Maceió, estamos disputando com enormes possibilidades várias outras capitais, como Salvador, ainda pelo Nordeste, como João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba, aqui em São Luís com uma extraordinária expectativa de que vamos, mais uma vez, ter aqui uma administração honrada, equilibrada e preparada com João Castelo.

Estamos disputando em Manaus, onde estarei logo mais à noite. Estamos disputando em Belém do Pará, estamos disputando em Teresina, estamos disputando em Rio Branco. Então, um conjunto de cidades que faz com que haja uma inversão daquilo que ocorreu quatro anos atrás, onde o PSDB e a oposição tinham sido quase que dizimados.

Agora não, os palanques da oposição estão muito vigorosos. É a demonstração de que há um certo cansaço em relação ao modus operandi do PT. Aqui mesmo, o candidato deles não foi feliz na sua campanha no primeiro turno.

Estou muito otimista. A nossa responsabilidade, a partir desses resultados eleitorais, é apresentar ao Brasil uma nova proposta, uma proposta ousada e moderna de gestão pública, corajosa do ponto de vista das reformas

Mas eu venho hoje aqui, principalmente, prestar a minha solidariedade, o meu respeito e a minha admiração por João Castelo que, sem dúvida alguma, num segundo mandato, poderá fazer os avanços que não foram possíveis ainda no primeiro mandato.

Eu governei Minas Gerais por dois mandatos e no segundo é que nós colhemos os principais frutos daquilo que plantamos no primeiro mandato. Portanto, venho em nome de toda a direção nacional do partido trazer ao Castelo, ao Neto, seu companheiro de chapa, uma palavra de muito apoio e de muitas expectativas de que eles possam não só vencer as eleições, mas fazer uma administração que continue honrando as melhores tradições de São Luís e do Maranhão.

Eleições 2012: Aécio – Link da matéria: http://psdbmgnaseleicoes2012.wordpress.com/2012/10/24/aecio-neves-apoia-candidato-tucano-em-sao-luis-no-maranhao/

Presidência em 2014: Aecio e Campos evitam falar de sucessão

Aecio e Campos evitam falar da presidência em 2014. Os dois estiveram em Uberaba para apoiar a candidatura de Antonio Lerin do PSB.

Aecio: 2014

 Aecio e Campos evitam falar da presidência em 2014

Aecio e Campos evitam falar da presidência em 2014. Os dois estiveram em Uberaba para apoiar a candidatura de Antonio Lerin do PSB.

Fonte: Agência Estado publicado no Estado de Minas

Aecio e Campos evitam falar de possível aliança entre PSDB e PSB em 2014

Dois dos nomes cotados para terem papéis de destaque na disputa pelo Palácio do Planalto em 2014, o senador Aecio Neves (PSDB-MG) e o presidente nacional do PSB, governador Eduardo Campos (PE), participaram juntos de ato de campanha em Minas Gerais nesta sexta-feira, mas evitaram qualquer referência a uma possível aliança para a corrida presidencial. Pelo contrário, reforçaram parcerias nas eleições municipais, mas o tucano fez a ressalva da “compreensão das circunstâncias do outro”, enquanto Campos salientou que alianças locais significam uma renúncia “às posições em nível nacional”.Aecio é o nome mais cotado do PSDB para a eleição presidencial de 2014 e já manifestou interesse em uma aliança com o socialista, que integra a base do governo da Presidente Dilma Rousseff e é visto como figura essencial em uma possível coligação pela reeleição da petista. Mas PSB e PSDB também mantêm alianças locais, como a que resultou na reeleição em primeiro turno do prefeito de Belo Horizonte, o socialista Marcio Lacerda, e, em 2010, na eleição do governador de Minas, o tucano Antonio Anastasia.Nesta sexta-feira, os dois participaram de ato de campanha do deputado estadual Antonio Lerin (PSB), que chegou ao segundo turno na disputa pela prefeitura de Uberaba, no Triângulo Mineiro, contra o deputado federal Paulo Piau (PMDB). Segundo Campos, porém, a presença dos dois no evento tem significado “para 2012“. “A eleição nem terminou ainda. Falar dessas coisas termina criando problema, mais para Aecio do que para mim”, disse, referindo-se a 2014, em meio a risos inclusive do tucano.

De acordo com o governador, as parcerias locais ocorrem “com muita naturalidade” porque integrantes das duas legendas estiveram juntos “em momentos bonitos da vida brasileira”, como a redemocratização. “Estivemos separados nos últimos anos nas lutas políticas brasileiras, mas, quando o interesse do País foi colocado na pauta, a gente sempre esteve junto. Isso é da maturidade democrática. Não faz a gente renunciar às nossas diferenças nem deixar as posições que temos a nível nacional”, observouCampos, que negou a intenção de rodar o Brasil em uma espécie de pré-campanha. “Quem está pelo País todo é o Aecio“, declarou, mais uma vez entre risos de todos.

Aecio concordou com a aproximação em torno das “grandes questões nacionais”, mas ressaltou que essas alianças ocorrem com “cada um compreendendo as circunstâncias do outro”. “Política é isso. Você compreender as circunstâncias do seu amigo, do seu companheiro. Eduardo participa hoje com seu partido da base de sustentação do governo da presidente Dilma. Somos a oposição. E cada um cumpre o seu papel”, concluiu.

Aécio: 2014 – Link da matéria: http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2012/10/19/interna_politica,324532/aecio-e-campos-evitam-falar-de-possivel-alianca-entre-psdb-e-psb-em-2014.shtml

Presidente 2014: Aécio Neves e Campos reforçam campanha em Uberaba

Aecio e Campos: 2014 – Senador e governador de Pernambuco ensaiam futuro cenário em disputa contra o PT para a Presidência da República.

Aecio Neves: presidente 2014

Fonte: O Globo

Aecio Neves e Eduardo Campos se unem de olho em 2014

Prováveis adversários do PT em 2014, eles medem forças com a dupla Lula e Dilma Rousseff

Aecio e Campos se unem em Uberaba e antecipam 2014

Aécio e Campos se unem em Uberaba mirando 2014. Senador e governador de Pernambuco ensaiam futuro cenário em disputa contra o PT para a Presidência da República.

BRASÍLIA e UBERABA — Inflados pelas vitórias no primeiro turno de Marcio Lacerda, em Belo Horizonte, e de Geraldo Júlio, em Recife, os padrinhos das duas candidaturas, respectivamente Aecio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), prováveis adversários do PT em 2014, unem-se para medir forças com a dupla Lula e Dilma Rousseff neste segundo turno em capitais e grandes cidades. Mostrando um distanciamento cada dia maior de partidos da base aliada do governo e se firmando como terceira via, o presidente do PSB e governador de Pernambuco Eduardo Campos usou nesta sexta-feira um ato de campanha em Uberaba, cidade importante do Triângulo Mineiro, para estrear na campanha ao lado de Aecio, que também comemora o fato de ter conseguido polarizar com Dilma no primeiro turno em Belo Horizonte.

Tucanos dizem que a disputa em Uberaba entre Antonio Lerin (PSB) e Paulo Piau (PMDB) é o que menos conta na aparição da dupla, e que o mais importante é o simbolismo dos dois juntos. Isso porque essa parceria entre os dois netos de políticos famosos —Aecio, do ex-presidente Tancredo Neves, e Campos, do ex-governador Miguel Arraes — está deixando o PT de cabelo em pé. A eleição municipal deste ano, para o PSB, tem funcionado como o passaporte para o partido alcançar independência dentro da base e se firmar como alternativa em 2014. Ou negociar com o aliado histórico, o PT, protagonismo para 2018.

— Esse encontro de Aecio e Eduardo Campos em Uberaba tem repercussão nacional. Aecio mostra sua ampla circulação e Eduardo Campos reforça que não será sublegenda do PT, muito menos tutelado e patrulhado! Aecio e Eduardo são os dois maiores lideres da nova geração política — comemora o presidente do PSDB mineiro, deputado Marcus Pestana.

A aparição pública dos dois nesta sexta-feira em Uberaba foi mais modesta do que o esperado, mas ficou registrada a foto do momento. Campos e Aecio também apoiaram o candidato do PSB em Belo Horizonte, o prefeito reeleito Marcio Lacerda, mas o governador pernambucano não esteve na capital mineira.

Declarações cuidadosas

Aecio Neves chegou a Uberaba no meio da tarde de ontem e ficou na casa de um amigo, enquanto aguardava a chegada de Eduardo Campos, que aterrissou na cidade mineira por volta das 18h30m.

Os dois concederam uma breve entrevista no aeroporto, e evitaram dar maior significado à atuação política conjunta, principalmente no que se refere à sucessão de Dilma Rousseff, em 2014. Questionado sobre a presença no município mineiro, junto com Aecio, Campos disse que se limitava ao apoio ao candidato de seu partido.

— O único significado que tem aqui é o de eleger o candidato Lerin em 2012. Nossa energia está voltada para apoiá-lo. Ainda não há resultados nem mesmo da eleição, e vocês já estão falando em 2014 — desconversou Campos.

Aecio também limitou suas respostas à disputa eleitoral para as prefeituras.

— O PSDB tem muitas alianças. Todas elas para uma melhoria de políticas públicas, visando a uma qualidade de vida melhor para o povo — afirmou.

Além de Fortaleza, onde o PSDB apoia Roberto Cláudio (PSB), e Manaus, onde o PSB apoia Arthur Virgílio (PSDB) contra Lula, Dilma e a candidata Vanessa Graziottin (PCdoB), os partidos de Aecio e Campos fazem dobradinha em outras capitais e cidades importantes, como Campinas, neste segundo turno das eleições municipais.

O secretário nacional de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PR), ironiza declarações de Eduardo Campos de que o PSB continua na base de Dilma, mas não será satélite do PT:

— A preocupação do PSB, do Eduardo Campos, é não ser satélite do PT. Mas ele tem que ter a mesma preocupação em não ser satélite do PSDB.

De uma forma ou de outra, fortalecido nas urnas, com PT ou PSDB, Eduardo Campos já avisou que o PSB estará no jogo em 2014:

— Esse movimento do PSB só deve preocupar o PT, porque representa uma fissura grande dentro da base. Nós, da oposição, vamos apresentar um projeto alternativo de poder em 2014. Se amanhã forças que hoje estão com o governo quiserem apoiar esse projeto serão muito bem vindas — disse Aecioao GLOBO.

Queixas de candidatos da base

Derrotado no primeiro turno em Manaus, Serafim Corrêa, do PSB, diz que o atropelamento do PT aos aliados está aproximando o PSB do PSDB. Ele conta que no primeiro turno procurou apoio de Dilma e do PT, mas foi informado que a cúpula já tinha se decidido por Vanessa Graziotin, do PCdoB, que pode ser derrotada pelo tucano, segundo as pesquisas.

— Eu era ou não era também candidato da base? O apoio que deram a Vanessa foi desproporcional. Foi uma sacanagem Lula e Dilma já fazerem uma opção no primeiro turno pela Vanessa! Agora, (o líder do governo no Senado) Eduardo Braga, que acha que é rei em Manaus, está colocando Lula e Dilma numa gelada. Estão trazendo a presidente aqui para ser sócia de uma derrota — disse Serafim Corrêa, lembrando que em 2008, quando o PSB ficou isolado, o PSDB apoiou o partido.

Serafim Corrêa conseguiu formalizar o apoio do PSB local ao tucano Arthur Virgílio, apesar das tentativas de Vanessa Graziotin de impedir. A presidente Dilma deve ir a Manaus na segunda feita, embora tenha dito, durante a campanha, que não entraria em eleição disputada por dois partidos aliados. Tática que foi deixada no primeiro turno.

Diante das ofensivas de Campos e da proximidade com o principal partido de oposição, o ex-presidente Lula também resolveu ignorar isenção em cidades onde aliados estão em disputa. Na próxima semana ele irá reforçar o palanque de Elmano Freitas em Fortaleza, onde o petista está empatado com o candidato do PSB, Roberto Cláudio.

(Colaborou Thereza Cristina Gonçalves Ferreira)

Aécio: 2014 – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/aecio-neves-eduardo-campos-se-unem-de-olho-em-2014-6465465#ixzz29noI8Zlk

Aecio e Campos abrem caminho para 2014 e querem derrotar PT em Uberaba

Aecio e Campos em Uberaba abrem caminho para 2014. Senador apoia candidato do PSB no Triângulo. Relação entre PT e PSB estão estremecidas.

Aecio: presidente 2014

 Aecio e Campos em Uberaba abrem caminho para 2014

Aecio e Campos em Uberaba abrem caminho para Presidência da República em 2014. Foto Revista Época

Fonte: Correio Braziliense

Aecio e Eduardo juntos

Belo Horizonte – Dois possíveis concorrentes à Presidência da República em 2014, o senador Aecio Neves(PSDB-MG) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), participam juntos, hoje, pela primeira vez, da campanha de um candidato apoiado por ambos nas eleições municipais 2012. O pedido conjunto de votos será em Uberaba, no Triângulo Mineiro, para o deputado estadual Antônio Lerin (PSB), que disputa o segundo turno na cidade contra o deputado federal Paulo Piau (PMDB).

A viagem a Uberaba tem ingredientes para trazer alguma fervura à sucessão da presidente Dilma Rousseff em 2014. O PSB é um dos principais partidos aliados do Palácio do Planalto, mas Eduardo Campos e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estremeceram as relações entre PT e PSB ao não fecharem acordo para candidatura comum no Recife. O governador apoiou Geraldo Julio (PSB), que venceu a eleição, enquanto o partido de Lula indicou o senador Humberto Costa (PT), que ficou em terceiro lugar na disputa.

Eduardo e Aecio tiveram a chance de aparecer juntos também em Belo Horizonte, onde o senador, em aliança idêntica, apoiou o candidato do PSB, o prefeito Marcio Lacerda, que se reelegeu. O governador de Pernambuco, no entanto, não esteve na capital.

O presidente estadual do PSDB, deputado federal Marcus Pestana, acredita que o encontro dos dois presidenciáveis em Uberaba fortalece ambos nas articulações para a disputa pelo governo federal em 2014. “É o quadro político nacional fugindo dessa lógica totalitária, de hegemonia única de um partido só”, afirmou, referindo-se ao PT. “É um sinal de que o PSB, como já disse o próprio Eduardo Campos, não será uma sublegenda do Partido dos Trabalhadores em 2014“, avaliou. Segundo Pestana, Aecio partirá de São Paulo e Eduardo do Recife para a campanha em Uberaba, que está prevista para começar às 16h30, com uma caminhada no chamado Calçadão, na região central da cidade mineira.

O vice-presidente estadual do PT em Minas Gerais, o deputado federal Miguel Correa Júnior, não vê significado algum no encontro além da união comum entre partidos para disputas locais. “O governador de Pernambuco já disse que é aliado do PT”, minimizou.

O articulador da visita de Eduardo e Aecio a Uberaba hoje foi Marcos Montes (PSD), deputado federal. “A ideia era os dois virem, então fizemos uma montagem para que viessem juntos”, contou o parlamentar. Além da caminhada, o governador de Pernambuco e o senador mineiro terão ainda um encontro fechado com militantes.

Nestes dias que antecedem o segundo turno, Aecio deve participar apenas na propaganda eleitoral em rádio e televisão das outras campanhas em Minas Gerais. O parlamentar não irá a Montes Claros, onde o partido apoia o PRB; a Juiz de Fora, cidade em que os tucanos anunciaram apoio a Bruno Siqueira (PMDB); nem a Contagem, onde a legenda do parlamentar aderiu à campanha de Carlin Moura (PCdoB). Nos três municípios, o confronto é contra o PT.

Empate técnico em Fortaleza
A disputa pela prefeitura de Fortaleza está tecnicamente empatada, segundo pesquisa Datafolha divulgada ontem. Apesar da ligeira vantagem do candidato do PT, Elmano de Freitas, que tem 42% das intenções de voto, contra 37% de Roberto Cláudio (PSB), a margem de erro, de três pontos percentuais, contempla o empate. Os votos brancos e os nulos somam 11% e 9% não sabem ou não responderam ao levantamento. A disputa também é apertada considerando os votos válidos. Se a eleição fosse hoje, Elmano teria 53% e Roberto Cláudio, 47%. A pesquisa do Datafolha foi realizada entre os dias 16 e 17 deste mês e ouviu 1.281 pessoas na capital cearense. A amostragem foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do estado sob o número CE-00180/2012.

Aecio: presidente 2014 – Link da matéria: http://impresso.correioweb.com.br/app/noticia/cadernos/politica/2012/10/19/interna_politica,58358/aecio-e-eduardo-juntos.shtml

Aecio Neves: Choque de Gestão desenvolve interior

Aecio Neves: Choque de Gestão – Quando assumiu governo de Minas determinação foi criar metas de serviço em diversas regiões do estado.

Aecio Neves: Choque de Gestão

Fonte: Jogo do Poder

Choque de Gestão de Aecio Neves: a ordem é interiorizar

Uma das principais metas do Choque de Gestão de Aecio Neves era interiorizar o desenvolvimento em Minas; a Gasmig se tornou um case de sucesso neste aspecto.

 Aecio Neves: Choque de Gestão desenvolve interior

Aecio Neves: Choque de Gestão – Quando assumiu governo de Minasdeterminação foi criar metas de serviço em diversas regiões do estado.

O conceito de Choque de Gestão de Aecio Neves, criado em Minas Gerais em 2003, não se ateve apenas à administração direta – superintendências, órgãos e secretarias – do Governo de Minas. As empresas controladas pelo Estado também tiveram um salto de qualidade no atendimento à população que hoje reflete diretamente no avanço da economia mineira.

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) é um exemplo de sucesso empresarial no que se refere ao seu compromisso em levar desenvolvimento social e econômico para a população, o que é foi um dos pilares que formaram o conceito de Choque de Gestão de Aecio Neves e seu governo.

Em nove anos, o papel da empresa frente ao desenvolvimento do Estado mudou radicalmente. Deixou de ser apenas um braço da Cemigpara se tornar uma empresa sólida, com ampla presença em dezenas de cidade. Hoje, a Gasmig está entre as 50 maiores empresas de Minas Gerais e tem um plano traçado para atender o mercado mineiro com gás natural até 2030.

Uma das principais metas de Aecio Neves, quando assumiu o governo, era interiorizar o desenvolvimento em Minas Geraise, para isso, determinou que as secretarias, órgãos e empresas estaduais traçassem metas de ampliação da oferta de serviços nas diversas regiões do Estado. No caso da Gasmig, uma meta ousada foi traçada: abastecer o polo industrial do Vale do Aço.

Em 2013, quando a meta traçada por Aecio Neves completará 10 anos, o volume de vendas pelo ramal de abastecimento de gás da Gasmig no Vale do Aço chegará a 2 milhões de m³. Um crescimento superior a 50% em relação ao volume atual.

Para o próximo ano, além de expandir sua rede de distribuição para outras regiões do Estado, assim como fez com sucesso no Vale do Aço, a Gasmig tem planos para atingir 3,5 milhões de m³ de gás natural para todo o Estado.

E outra novidade na estatal reforça ainda mais o que Aecio Neves pensou ao pulverizar o conceito de Choque de Gestão no Governo de Minas: a Gasmig se prepara para atender o mercado doméstico e de pequenas empresas, ou seja, levará a máquina estatal e suas ações para mais pessoas, diminuindo desigualdades e ampliando oportunidades de desenvolvimento social e econômico.

Aecio Neves: Choque de Gestão

Aécio presidente: senador pavimenta caminho para 2014

Aécio destaca a reinserção do PSDB na região setentrional do país. Tucano considera bom o desempenho da oposição em Minas Gerais e em São Paulo.

Aécio: presidente 2014

Por Redatores da Turma do Chapéu

As vitórias nas eleições municipais fortaleceram a oposição em 2012. Para o senador Aécio Neves, o resultado do PSDB foi além do esperado, com vitórias na região norte e disputas no segundo turno, além de crescimento no sul e no centro-oeste. Com o resultado das eleições, Aécio se consolida como o líder da oposição, e deve ser o candidato tucano à presidência.

Aécio Neves na região do Taquari, em Rio Branco (AC)

Aécio Neves no Acre com o candidato tucano Tião Bocalom: o senador percorre o Brasil

Aécio canta vitória

Correio Braziliense

Antes mesmo do que está por acontecer no segundo turno, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que pavimenta o caminho para sua candidatura à Presidência da República em 2014, comemora o desempenho tucano nas eleições municipais e a correlação de forças políticas que emerge das urnas. “Temos um quadro hoje pluripartidário no Brasil. Então, houve uma distribuição de vitórias por vários partidos políticos. Mais do que havia em outras eleições. Mas, no caso do PSDB, nosso resultado foi muitas vezes além das expectativas que tínhamos há seis meses”.

Aécio destaca a reinserção do PSDB na região setentrional do país: “Vencemos, no conjunto das oposições, duas capitais em primeiro turno; e disputamos outras três ou quatro. Nos reinserimos no Norte do país disputando o segundo turno em capitais da importância de Manaus e de Belém. E tivemos uma situação melhor do que nas outras eleições no Sul e no Centro-Oeste”.

O tucano considera bom o desempenho da oposição em Minas Gerais e, em São Paulo, mesmo com a situação indefinida na capital paulista. Uma eventual derrota de José Serra (PSDB) para o petista Fernando Haddad pode colocar em risco a permanência do governador Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes em 2014. “O PSDB sai mais vivo do que nunca dessas eleições e, o que é mais importante, com lideranças novas, com caras novas, com figuras que vêm falando aquilo que o PSDB deve falar diretamente para as pessoas”.

Estrada

O tucano Aécio Neves aproveita as eleições municipais para consolidar sua candidatura no PSDB. Foi a 20 estados prestigiar os candidatos tucanos e seus aliados e pretende fazer um novo périplo neste segundo turno das eleições. Se ofereceu, inclusive, para participar da campanha de José Serra, com quem se digladiou internamente.

PSDB pode sair vitorioso das eleições em 2012

PSDB pode sair vitorioso das eleições em 2012. Hoje, o PSDB tem nove das maiores cidades do país. Pode chegar a 22.

PSDB: Eleições 2012

Fonte: Folha de S.Paulo

PT e PSDB têm melhores resultados no grupo das maiores cidades do país

Nos municípios com mais de 200 mil eleitores, PT ganhou 8 prefeituras e disputará mais 22

O PSDB teve o segundo melhor desempenho, com seis prefeitos já eleitos e 17 candidatos no segundo turno
Clique na imagem para ampliar

 PSDB pode sair vitorioso das eleições em 2012

PSDB pode sair vitorioso das eleições em 2012. Hoje, o PSDB tem nove das maiores cidades do país. Pode chegar a 22. – Clique na imagem para ampliar

PT e PSDB saíram na frente na disputa pelo comando das 83 maiores cidades do país, aquelas com mais de 200 mil eleitores.

Nesse grupo -que representa 1,5% das prefeituras, mas 36,5% do eleitorado-, o PT venceu 8 prefeituras no primeiro turno e disputará segundo turno em 22. O potencial do partido é de chegar ao comando de 30, contra 21 que administra hoje.

Além de São Paulo, onde Fernando Haddad disputa segundo turno com o tucano José Serra, petistas estão na briga em outras cinco capitais, como Salvador e Fortaleza, e várias cidades de regiões metropolitanas, como Santo André (SP) e Contagem (MG).

Já o PSDB, que elegeu seis prefeitos nas 83 maiores cidades, também tem amplo potencial de crescimento. Tucanos disputarão segundo turno em 17 localidades.

Hoje, o PSDB tem nove das maiores cidades do país. Pode chegar a 22.

PT e PSDB, justamente os partidos que polarizam as eleições presidenciais desde 1994, formam o principal confronto em 28 de outubro.

Nos 50 municípios com segundo turno, os dois partidos irão se enfrentar em seis cidades. Além de São Paulo, brigam diretamente em Guarulhos, Taubaté (SP), João Pessoa (PB), Pelotas (RS) e Rio Branco (AC).

A maioria dos 83 maiores colégios eleitorais do país fica no Sudeste (46), seguido por Nordeste (14), Sul (12), Norte (6) e Centro-Oeste (5).

O PMDB, que comanda 15 dessas cidades, conquistou três no primeiro turno e segue na briga em outras 16. Já o PSB, hoje no comando de quatro, levou cinco anteontem e disputa outras seis no segundo turno.

O PSD, recém-criado pelo prefeito paulistano Gilberto Kassab após uma dissidência do DEM, venceu apenas uma dessas disputas anteontem. Concorrerá em outras cinco.

No grupo das menores prefeituras do país, os 3.875 municípios com menos de 15 mil habitantes, o PMDB continua sendo a sigla com o maior número de prefeitos. Elegeu 749 agora, 271 a mais que o PSDB, o segundo colocado.

Um gráfico nas págs. A10 e A11 mostra o desempenho dos principais partidos conforme o porte dos municípios.

PSDB: Eleições 2012 – Link da matéria – http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/71033-pt-e-psdb-tem-melhores-resultados-no-grupo-das-maiores-cidades-do-pais.shtml

Aécio presidente: Minas se une em torno do senador

Aécio Neves agradeceu à população de Belo Horizonte pela eleição de Marcio Lacerda.

Aécio, que vem se configurando como presidenciável, pregou a união de Minas em torno de um projeto que é de interesse dos mineiros.

Publicado por: Redatores da Turma do Chapéu

Marcio Lacerda, Aécio Neves e Antonio Anastasia

De olho em 2014, Aécio alardeia ‘união de Minas’

Folha de São Paulo, 08/10/2012

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que a reeleição de Marcio Lacerda faz parte de um “projeto de Minas”.

“Quero agradecer por cada voto, por cada eleitor que foi à urna votar em Marcio, porque está votando num projeto que é de Minas Gerais, obviamente para atender aos interesses dos mineiros.”

O projeto a que Aécio se refere é o da “união de Minas”, tendo em vista a disputa presidencial de 2014.

Ele busca repetir o seu avô Tancredo Neves (1910-1985), que pregava um Estado unido politicamente para pavimentar o caminho rumo à corrida presidencial -Minas é o 2º colégio eleitoral do país.

Aécio prevê vencer em 80% dos municípios mineiros com o PSDB e os partidos aliados. BH será a principal vitrine da marca que o senador tucano tentava fixar antes mesmo da abertura das urnas.

Mas nem tudo são flores. Em cidades-polo importantes, Aécio e o governo de Minas perderão, como Uberlândia (Triângulo Mineiro). Lá, o PT deve prosperar pela primeira vez.

O PT também venceu em Poços de Caldas e Pouso Alegre, no sul do Estado.

Em Juiz de Fora, na zona da mata, o PSDB, que governa a cidade, ficou de fora do segundo turno, que será disputado por PMDB e PT. Em Ipatinga, no Vale do Aço, o PT retomou a prefeitura.

Na região metropolitana de BH, Aécio também perdeu em Contagem, onde o PSDB ficou de fora do segundo turno. Passaram PC do B e PT.

Aécio presidente: eleições 2012 deixam senador mais forte em 2014

Aécio fica forte em 2014. “Agora é Aécio Neves presidente do Brasil. E deixa o Márcio trabalhar!” – discursou Anastasia.

Aécio presidente: Eleições 2012

Fonte:O Globo

Vitória fortalece Aécio na disputa presidencial

 Eleições 2012: Aécio fica forte em 2014

Eleições 2012: Aécio fica forte em 2014.

Senador tem nome lançado ao Planalto na festa da reeleição de Lacerda

BELO HORIZONTE Padrinho “pé quente” da reeleição de Márcio Lacerda para a prefeitura de Belo Horizonte, o senador Aécio Neves (PSDB) teve seu nome lançado para disputar a Presidência da República na festa de comemoração que agitou ontem à noite a Avenida Rajagabaglia, no centro da capital mineira. Ele chegou na festa como a grande estrela, chamado por Lacerda como uma das duas maiores lideranças do Brasil, junto com o governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia.

– Agora é Aécio Neves presidente do Brasil. E deixa o Márcio trabalhar! – discursou Anastasia, lançando o grito de guerra acompanhado pela multidão.

– Passamos momentos difíceis esses dias. Agora é trabalhar para eleger Aécio Neves o próximo presidente do Brasil! – emendou o vice de Márcio, Délio Malheiros.

Quem conhece bem Aécio diz que ele segue à risca a cartilha do avô, o ex-presidente Tancredo Neves, que sabia como ninguém aproveitar o momento político e entrar na arena na hora certa. Apagado no cenário político até então, Aécio evitou entrar em bola dividida com o governo federal, mas pulou no colo do prefeito Márcio Lacerda e ocupou o espaço deixado pelo PT, que, no último minuto, rompeu a aliança de anos e lançou a candidatura de Patrus Ananias em Belo Horizonte. Agora, é apontado como o responsável pela segunda vitória do afilhado.

Aécio abraçou a campanha junto com Anastasia e usou o palco político da eleição da capital mineira para abrir uma outra frente com vistas a 2014: a polarização com a presidente Dilma Rousseff, com quem travou um duelo verbal nas últimas semanas.

Com a eleição de Lacerda no primeiro turno, Aécio demarca seu território e sai como uma liderança forte para 2014, não só em Minas, mas também dentro do PSDB, que terá de decidir entre ele e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin quem concorrerá ao Palácio do Planalto. Dependendo da eleição em São Paulo, José Serra entra nesta disputa interna.

Aécio: “só reagi a ataques”

Tanto Aécio quanto o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) saem fortalecidos para 2014, ao eleger seus afilhados no primeiro turno. Dilma e Lula perdem neste primeiro momento. A presidente se desgastou e sai como derrotada em Minas Gerais. Não elegeu Patrus e ainda ajudou a fortalecer Aécio. Próxima batalha: Palácio do Planalto.

Minas Gerais jamais se curva. Pelo contrário, se engrandece no combate – discursou Aécio, comemorando a vitória sobre Dilma, Patrus e o PT.

Ao votar no colégio Milton Campos, onde a presidente estudou no ensino médio, ele não quis continuar o duelo engrossado durante a semana:

– Eu tenho muito apreço pela presidente Dilma. Eu só reagi a ataques. Agora vamos em frente, com paz e amor.

Negou que, por seu embate com Dilma, tenha se transformado em protagonista na eleição de Belo Horizonte.

– De forma alguma! Estou orgulhoso da campanha até agora ao lado de Lacerda. Política não é uma ação solitária, é solidária. É preciso estar sempre bem acompanhado – disse Aécio. – O mineiro não coloca o carro na frente dos bois. Estamos em 2012 e não vamos falar em 2014.

Eleições 2012: Aécio presidente – Link da matéria: http://oglobo.globo.com/pais/eleito-no-1o-turno-marcio-lacerda-prega-distensao-com-pt-6326925

Aécio presidente: senador ganha vantagem na corrida presidencial em 2014

Aécio ganha vantagem: senador e possível “presidenciável” Aécio Neves disse que o partido vai sair fortalecido nessas eleições no Nordeste.

Aécio presidente: eleições 2012

Fonte: Brasil Econômico

Presidenciáveis saem fortalecidos no primeiro turno das eleições

Segundo lugar do PT em São Paulo e vitória de Lacerda em BH dão fôlego a Dilma, Aécio e Campos para 2014

 Aécio ganha vantagem na corrida presidencial em 2014

Eleições 2012: Senador e possível “presidenciável” Aécio Neves(PSDB) disse que o partido vai sair fortalecido nessas eleições, principalmente no Nordeste

O resultado final da apuração nas capitais brasileiras revela um quadro de polarização entre PT e PSDB e consolidação do PSB como potência política emergente. Apesar da repercussão do julgamento do mensalão na mídia, os petistas comemoraram muito ontem. A sigla do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff venceu no primeiro turno em Goiânia e chegou ao segundo em cinco capitais: São Paulo, Salvador, Fortaleza, João Pessoa e Rio Branco.

Além disso, a legenda foi bem sucedida em cidades consideradas estratégicas, como Osasco, em São Paulo, que é o berço político e João Paulo Cunha, réu no mensalão. Mas em comparação às eleições de 2008, o PT retrocedeu. Há quatro anos os petistas venceram no primeiro turno em seis capitais: Vitória, Rio Branco, Recife, Palmas, Porto Velho e Fortaleza. Dois resultados foram especialmente amargos para os petistas no domingo. Em Recife, o senador Humberto Costa foi atropelado por Geraldo Julio, do PSB, que venceu no primeiro turno.

E em Belo Horizonte o petista Patrus Ananias viu seu adversário, Márcio Lacerda (PSB), ser reeleito. Esses dois resultados fortalecem os projetos de dois presidenciáveis para 2014: o senador Aécio Neves (PSDB), padrinho político de Márcio Lacerda, e o governador Eduardo Campos (PSB). Depois de vencer no primeiro turno em duas capitais em 2008 – Teresina e Curitiba -, o PSDB emplacou apenas uma agora: Maceió. Por outro lado, o partido de Fernando Henrique Cardoso levou oito postulantes ao segundo turno e lidera esse ranking.

O PSB repetiu o desempenho da eleição anterior e elegeu dois prefeitos no primeiro turno. “Nenhum partido saiu da eleição como força hegemônica. O PT reagiu na reta final e ficou claro que o efeito do mensalão foi residual. O PSDB foi bem em capitais menores”, opina o cientista político Aldo Fornazieri, diretor da Escola de Sociologia Política de São Paulo.

Apesar do revés em São Paulo e Salvador, o PMDB de Michel Temer venceu com tranquilidade no Rio de Janeiro e também saiu fortalecido do pleito. Numericamente, os tucanos lideram o ranking de candidatos que chegaram ao segundo turno. Nove nomes da legenda avançaram. Mais contundente partido da oposição, o DEM venceu ontem em Aracaju com João Alves Filho, que obteve 52,72% dos votos. Além de São Paulo, os rivais PSDB e PT se enfrentarão em outras duas capitais: João Pessoa e Rio Branco. Já o “aliado” PSB enfrentará o PT em Fortaleza. No quadro geral, o resultado foi bom para a presidente Dilma. Partidos da base aliada venceram na maioria das capitais.

“PSB entrou na vida adulta”, diz Campos
Partido venceu eleição já no primeiro turno em Belo Horizonte e no Recife>Das seis capitais brasileiras que decidiram o pleito no primeiro turno das eleições municipais, realizado ontem em todo o país, o PSB conquistou duas de peso: Belo Horizonte e Recife.Na capital mineira, Marcio Lacerda (PSB) conseguiu evitar um embate mais acirrado com o antigo aliado do PT, Patrus Ananias, ao garantir a reeleição ontem.

Lacerda, que se elegeu em 2008 com o apoio do PT, rompeu com o partido da presidente Dilma na reta final da amarração das alianças, e manteve a parceria com o PSDB, do senador Aécio Neves (PSDB), principal força política no estado e provável candidato tucano à Presidência daqui a dois anos.A outra vitória do partido foi em Recife. Geraldo Julio foi eleito com 51,14% dos votos. Em segundo lugar ficou Daniel Coelho, do PSDB, com cerca de 27% dos votos. Humberto Costa (PT) ficou em terceiro, com 17,4%.

O presidente nacional da legenda e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, afirmou ontem, antes dos resultados das urnas, que o PSB saiu “da adolescência para entrar na vida adulta”. De acordo com ele, ninguém vinha percebendo o crescimento do partido. Ele lembrou que na disputa de 2008 o PSB fez 306 prefeitos no país.O governador voltou a negar que a eleição deste ano seja um trampolim para uma possível disputa presidencial em 2014.”Essa coisa de projetar uma eleição sobre a outra nem sempre é verdadeira”, desconversou Campos, tido como um dos principais nomes para a sucessão presidencial.Entre as capitais, a legenda vai disputar ainda o segundo turno em Fortaleza, no Ceará, e em Porto Velho, em Rondônia. I.P. com Reuters

Contornos presidenciais na reeleição de Lacerda
Apoiado pelo senador Aécio Neves, prefeito do PSB derrota candidato de DilmaA eleição em Belo Horizonte ganhou contornos de disputa presidencial. Ao apoiar o candidato à reeleição, o prefeito Marcio Lacerda (PSB), o senador e possível “presidenciável” Aécio Neves (PSDB) disse que o partido vai sair fortalecido nessas eleições, principalmente no Nordeste, tradicional reduto petista.

“Mineiro não gosta de colocar o carro na frente dos bois, mas acredito que nós estamos muito bem e com grandes chances de vitória”, disse Aécio, que acompanhou Lacerda durante a votação..Lacerda foi reeleito prefeito de Belo Horizonte com 52,69% dos votos válidos. O ex-prefeito e ex-ministro Patrus Ananias, do PT, ficou com 40,80% da preferência do eleitor da capital mineira.
O candidato petista contou com a presença da presidente Dilma Rousseff no palanque, para tentar levar a disputa para o segundo turno.O prefeito disse que acreditava na vitória já no primeiro turno, mas, caso a disputa se arrastasse por mais um período, estaria “preparado”. “É a aprovação do trabalho que estamos fazendo para levar a capital ao ranking das melhores cidades para se viver no país”, afirmou o candidato, que chegou às 11h ao local de votação.

Ele estava acompanhado do senador Aécio Neves, do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, e do candidato a vice na chapa, Délio Malheiros. No meio da confusão de repórteres, Lacerda esqueceu-se de assinar a ata de votação. Após perceber a falha, o mesário precisou ir atrás do candidato do lado de fora da instituição e a assinatura foi feita no capô de um carro.

Capital mineira foi palco de aliança inédita
HISTÓRICO
Tucanos e petistas se uniram em 2008 em torno da candidatura de Marcio Lacerda
A história política de Belo Horizonte no período pós – ditadura é marcada pela polarização entre petistas e tucanos desde 1988.Em 1985, o PMDB surfou na onda da oposição e emplacou a maioria dos prefeitos do país. Em 1992, foi a vez do recém criado PSDB ganhar a prefeitura com Pimenta da Veiga. Na eleição seguinte, o PT tornou-se uma potência na cidade ao eleger Patrus Ananias. Seu sucessor foi Célio de Castro, que era vice de Patrus mas disputou a eleição pelo PSB e contra o Partido dos Trabalhores, que lançou naquele ano Virgílio Guimarães.

Em 2000 Célio conseguiu um segundo mandato que durou pouco. No ano seguinte, ele sofreu um AVC e teve que se afastar do cargo. Quem assumiu foi seu vice, Fernando Pimentel, que seria reeleito em 2004. Em 2008, os rivais PT (que governava a cidade) e PSDB (que comandava o estado) fizeram um acordo que surpreendeu o Brasil. As duas legendas se uniram em torno da candidatura do empresário Marcio Lacerda, do PSB.

Depois de uma campanha fortemente influenciada pelo então governador mineiro Aécio Neves, que foi chefe de Lacerda no governo, o socialista conseguiu uma vitória tranquila. As duas siglas conviveram juntas até o começo de 2012. Quando tudo indicava que o acordo seria reeditado e a eleição, previsível, tucanos e petistas implodiram o acordo e saíram separados na disputa municipal.

Os dois lados se acusam mutuamente pela responsabilidade do fim da aliança. Para garantir folêgo ao PT na capital, até Dilma Rousseff entrou em cena.

Aécio: Presidente 2014 – Link da matéria: http://www.brasileconomico.ig.com.br/assinaturas/epapers.html