Arquivo da categoria: Educação

Gestão da Educação: em Minas, estudos em ciência e tecnologia estão ao alcance de todos

Programa da Sectes estimula estudantes a apreciar e conhecer mais sobre o assunto

Sectes / Divulgação
Alunos visitam Parque da Ciência
Alunos visitam Parque da Ciência

O programa de popularização da Ciência e Tecnologia, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), já atingiu desde o início desse ano, 2.500 pessoas em Teófilo Otoni e região.

Com a mobilização do Polo de Inovação, aproximadamente 900 crianças e jovens foram estimuladas a visitar o Parque da Ciência na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e a participar da elaboração de programas para a Rádio Ciência. Nas redes sociais, cerca de mil pessoas já integram um grupo no Facebook que discute iniciativas de ciência e tecnologia no nordeste de Minas Gerais.

Na escola Tiradentes de Teófilo Otoni, em apenas um dia, o projeto “Ciência na Escola” atendeu a 500 alunos. Eles participaram de diversas oficinas com os equipamentos do Parque e da Rádio Ciência, que fizeram parte de uma exposição na escola.

Na área externa do campus da UFVJM em Teófilo Otoni, o projeto “Terça no espaço” possibilitou que mais de 100 pessoas pudessem observar o espaço com o telescópio do Parque da Ciência.

De acordo com o coordenador do programa de Popularização da Ciência e Tecnologia em Teófilo Otoni, Wallas Siqueira Jardim, a parceria entre o Polo de Inovação e a UFVJM é importante para o desenvolvimento da educação na região. A estrutura da Universidade permite ao Polo promover o contato dos estudantes com diversos jogos, experimentos, brinquedos e desafios propostos nas visitas ao Parque da Ciência e à emissora de rádio.

“Os alunos percebem que a ciência não está apenas nos livros e decoreba das fórmulas matemáticas, mas também no olhar e no toque. O mundo a sua volta pode ser percebido e entendido de uma maneira fácil e divertida”, explicou Wallas.

Polos de Inovação

O polo de Teófilo Otoni é um dos oito instalados também nos municípios de Araçuaí, Almenara, Janaúba, Diamantina Januária, Pirapora e Salinas. Eles atuam no norte de Minas e vales do Jequitinhonha e Mucuri com o objetivo de catalisar oportunidades para o desenvolvimento econômico e social da região. As atividades oferecidas pelos Polos desenvolvem potenciais, fortalecem vocações e promovem a cidadania.

Para saber mais e participar das ações de popularização da ciência e tecnologia em Teófilo Otoni, entre em contato com o coordenador de Popularização da Ciência do Polo de Inovação de Teófilo Otoni, pelo email wallasmat@yahoo.com.br .

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/em-minas-estudos-em-ciencia-e-tecnologia-estao-ao-alcance-de-todos/

Governo de Minas: universidade Estadual de Montes Claros prepara o I Congresso de Ciências Humanas

O evento que está previsto para o mês de agosto irá proporcionar novos desafios para os alunos

Ascom/Unimontes
Professores discutem conteúdo do I Congresso de Ciências Humanas
Professores discutem conteúdo do I Congresso de Ciências Humanas

Avaliar o curso de graduação e pós-graduação e discutir novas perspectivas para as atividades de ensino, pesquisa e extensão são os principais objetivos do I Congresso de Ciências Humanas da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

O conteúdo programático do evento será elaborado pelo Conselho de ciências humanas (CCH). A primeira reunião para discutir esse tema foi na terça-feira (10). A ideia é realizar palestras, mesas redondas, conferências com professores, dirigentes da instituição e especialistas convidados, apresentar  trabalhos científico e publicação de resumos.

“Como proposta coletiva, o Congresso permitirá à comunidade acadêmica debater medidas concretas para a revitalização das licenciaturas em Ciências Humanas, além de apresentar resultados – e ao mesmo tempo demandas – dos projetos de pesquisa, de estágios e da formação inicial, para o acadêmico, e da formação continuada do docente”, observa Antônio Wagner Veloso Rocha, diretor do CCH.

O evento que tem o apoio da Fundação de amparo à pesquisa do estado de Minas Gerais (Fapemig), da Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior (Capes) e do Ministério da Educação será realizado entre os dias 8 e 10 de agosto no campus-sede.

Fonte: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/universidade-estadual-de-montes-claros-prepara-o-i-congresso-de-ciencias-humanas/

Gestão da educação: testes do Proeb já estão sendo corrigidos e resultados devem sair no mês de março

BELO HORIZONTE (03/01/12) – As provas do Programa de Avaliação da Rede Pública da Educação Básica (Proeb) já estão sendo corrigidas. Aplicada em novembro para todos os estudantes de 5º e 9º anos do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, a prova testa os conhecimentos dos alunos em português e matemática. Foram aplicadas aproximadamente 1,9 milhão de provas no Estado e a previsão é que os resultados sejam divulgados em março.

O resultado do Proeb permite avaliar todo o percurso educacional do aluno, já que é aplicado em momentos-chave da trajetória estudantil: ao fim dos anos iniciais e finais do ensino fundamental, e no ano de conclusão do ensino médio. Após a aplicação das avaliações, as provas são lacradas pelas escolas e recolhidas pelas Superintendências Regionais de Ensino (SREs). Uma empresa contratada pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) faz o transporte dos malotes para o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (Caed), em Juiz de Fora. Chegando no Caed, é feita uma conferência para saber se todos os malotes foram entregues.

Após a conferência, é feita a digitalização dos testes dos alunos e os resultados são transformados em uma base de dados. Essa base é entregue ao departamento estatístico do Caed. É nessa etapa que os gráficos são gerados e que se define a proficiência média dos alunos e das escolas. O próximo passo fica por conta de uma equipe pedagógica do Caed que, juntamente com o departamento estatístico, faz a análise dos itens e define os padrões de desempenho dos alunos, analisando assim se os estudantes estão no nível baixo, intermediário ou recomendado.

A partir das análises, são elaborados os boletins de resultados e pedagógicos, que são enviados a todas as unidades escolares que participaram do Proeb.

Proeb 2011

Em 2011, as provas do Proeb foram aplicadas para 1,9 milhão de estudantes em todos os 853 municípios do Estado. Os testes são aplicados na própria escola, sendo que os professores trocam de turmas durante a aplicação. Há um caderno para português e outro para matemática, cada um com 39 questões. Cada prova é aplicada em um dia e os alunos têm duas horas e meia para completar o teste. O exame é aplicado também em alunos das redes municipais de ensino.

Os testes do Programa de Avaliação da Rede Pública da Educação Básica estão sob a coordenação da Superintendência de Avaliação Educacional da Secretaria de Educação.

Agência Minas

Gestão da educação: escola em Ouro Branco inicia ano letivo com projeto de horticultura sustentável

OURO BRANCO (02/01/12) – A Escola Estadual Cônego Luís Vieira da Silva, em Ouro Branco, iniciará o ano letivo com um projeto de horticultura sustentável, que vai utilizar as águas das chuvas para o cultivo das plantas. Já no primeiro semestre, a intenção é aproveitar uma área livre da escola para a construção de uma horta, além de criar um sistema de calhas e cisternas para armazenar as águas das chuvas, que vão servir para regar a horta.

Coordenado pela professora de química do ensino médio Ana Lúcia Corrêa de Souza, o projeto tende a despertar o interesse dos estudantes para a preservação. “Os projetos de horta nas escolas são comuns, mas o nosso projeto tem o diferencial de captar água da chuva. A intenção é mostrar aos nossos alunos a importância de aproveitar bem a água e não desperdiçar”, explica.

Na horta serão cultivadas mudas de árvores, plantas ornamentais e vegetais que podem ser introduzidos na alimentação. A ideia é que a couve, a cebolinha, a cenoura, a beterraba, o chuchu e os outros alimentos que serão plantados na horta possam ser utilizados na merenda escolar. “O que a gente puder utilizar na escola vai ser utilizado e o excesso da produção será doado para outras instituições da cidade ou para a comunidade”, explica a professora Ana Lúcia.

Mais do que um reforço no prato, a horta vai servir também como reforço para as mentes dos estudantes. A intenção da equipe pedagógica da escola é que o espaço seja utilizado como laboratório para os estudantes da escola, que atende cerca de 1.300 alunos dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio. Um dos idealizadores do projeto, o professor de biologia José Luiz Campos Valli diz que o espaço pode servir de palco para aulas de várias disciplinas. “Em biologia, podemos trabalhar botânica, ciclos biogeoquímicos, fotossíntese. Vamos ter na horta, por exemplo, o processo de compostagem, que pode ser estudado na química. O professor de matemática pode ajudar a calcular o volume d’água captado com a chuva. São várias as possibilidades”, explica.

Parceria Gerdau

Para conseguir desenvolver o projeto na escola, os professores conseguiram a parceria da Gerdau Açominas, empresa fornecedora de aço que atua na região. Em novembro, o projeto foi um dos vencedores do 1º Prêmio Germinar de Educação Ambiental, promovido pela Gerdau. O prêmio rendeu à escola uma verba de R$ 8 mil para implantação do projeto em 2012. As atividades para a criação da horta terão início no começo do ano letivo.

Além da Escola Estadual Cônego Luís Vieira da Silva, a Gerdau Açominas premiou também outras três escolas de Ouro Branco que apresentaram projetos ambientais. Cada uma das escolas recebeu o prêmio de R$ 8 mil para implantar seus projetos. Realizada em parceria com o Instituto Gerdau, responsável pelas políticas e diretrizes de responsabilidade social da empresa, a premiação foi criada para estimular as escolas no desenvolvimento de ações que possam fazer diferença na relação entre as pessoas e o meio ambiente.

Fonte: Agência Minas

Gestão Anastasia: Minas anuncia expansão do Banco Travessia e do Porta a Porta em 2012

Fonte: Agência minas

BELO HORIZONTE (07/12/11) – Mais mineiros ganharão um incentivo para retomar os estudos: o Banco Travessia vai atender 36 novas cidades, a partir de 2012. Além disso, o Governo de Minas quer identificar as pessoas em situação de vulnerabilidade social em outros 80 municípiosOs convênios para expansão serão assinados com os 116 prefeitos, nesta segunda-feira (12), às 13h30, no auditório do BDMG (Rua da Bahia, 1600, Bairro Lourdes).

A estimativa é que novos 28 mil domicílios sejam beneficiados pelo Banco Travessia e mais de 180 mil famílias sejam visitadas pelo Porta a Porta, ambos coordenados pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

A previsão é que as agências do Banco Travessia sejam instaladas no primeiro semestre de 2012 nas novas cidades. O projeto Porta a Porta dará início às atividades até março.

Na semana passada, as primeiras agências do Banco Travessia foram inauguradas em Sabará, Confins e Capim Branco, municípios localizados na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Até o dia 22 de dezembro, mais unidades serão instaladas em outras sete cidades (Presidente Kubitschek, Arinos, Matutina, Juiz de Fora, Ninheira, Santo Antônio do Jacinto e Itinga). A previsão é que mais de 14 mil famílias sejam atendidas nessas cidades.

Já o Porta a Porta identificou, neste ano, mais de 120 mil famílias em 61 municípios que, até então, estavam invisíveis às políticas públicas por viverem à margem da sociedade. O diagnóstico do projeto servirá de referência para as ações do Programa Travessia. A identificação dessas pessoas, por meio do Porta a Porta, é realizada com a aplicação de questionários que envolvem perguntas no âmbito da saúde, educação e padrão de vida. A partir daí, nasce o mapa de privações e as cidades passam a ser contempladas pelo programa que, em mutirão de secretarias, melhora a qualidade de vida dos moradores.

Banco Travessia

Iniciativa pioneira do Governo de Minas, o Banco Travessia, lançado em setembro deste ano, visa incentivar a inserção e o retorno de pessoas aos estudos. Cada morador dessas cidades inserido no programa e que retomar os estudos vai abrir uma poupança para a família no Banco Travessia. Se passar de ano, garante mais dinheiro no banco. Cada ação da família que garanta mais qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também será transformada em mais dinheiro na poupança. A pessoa receberá uma moeda de troca chamada “Travessia”. Cada Travessia equivale a R$ 1,00. Depois de dois ou três anos, a família retira toda a quantia depositada, que pode chegar a R$ 5 mil.

O público-alvo do Banco Travessia são famílias com pelo menos uma privação educacional. O Banco Travessia faz parte do Programa Travessia, que combate a pobreza nas cidades com graves privações sociais em Minas. O combate é feito por meio da ação integrada e simultânea de secretarias e órgãos estatais, nas áreas de saúde, educação, geração de renda, infraestrutura urbana, saneamento e capacitação profissional.

Novos municípios (Banco Travessia)

Alvorada de Minas, Cachoeira Dourada, Campanário, Campo Azul, Carvalhos, Consolação, Diogo de Vasconcelos, Dom Joaquim, Fernandes Tourinho, Frei Lagonegro, Ibituruna, Joaquim Felício, Josenópolis, Juramento, Lagoa dos Patos, Marilac, Mateus Leme, Miravânia, Nacip Raydan, Natalândia, Oratórios, Passabém, Pescador, Ponto Chique, Presidente Juscelino, Quartel Geral, Santa Fé de Minas, Santo Antônio do Itambé, Santo Hipólito, São Félix de Minas, São Geraldo da Piedade, São João do Pacuí, São José da Safira, São José do Divino, Serra Azul de Minas, Serranópolis de Minas.

Novos municípios (Porta a Porta)

Abadia dos Dourados, Açucena, Araponga, Bandeira, Barra Longa, Brasilandia de Minas, Cabeceira Grande, Cachoeira de Pajeu, Campo Florido, Canapolis de Minas, Candeias, Capitão Eneas, Comercinho, Conceição do Mato Dentro, Cônego Marinho, Congonhas do Norte, Curral de Dentro, Divisa Alegre, Divisópolis, Felício dos Santos, Felisburgo, Francisco Dumont, Fruta de Leite, Gonzaga, Grão Mogol, Guaraciaba, Guaraciama, Guaranésia, Gurinhatã, Ibiaí, Ibiracatu,  Icaraí de Minas, Imbé de Minas, Iraí de Minas, Jequeri, Jordania, Juvenília, Lagoa Formosa, Lagoa Grande, Leme do Prado, Limeira do Oeste, Machacalis, Malacacheta, Mata Verde, Materlândia, Mesquita, Miradouro, Montezuma, Novorizonte, Orizânia, Peçanha, Periquito, Pintópolis, Presidente Olegario, Riacho dos Machados, Rio do Prado, Rio Espera,  Rio Paranaíba, Rio Vermelho, Rubelita, Rubim, Salto da Divisa, Santa Maria do Salto, Santana do Manhuaçu, Santo Antonio do Amparo, São Bento Abade, São Francisco de Paula, São João da Lagoa, São José do Jacuri, São Pedro do Suaçuí, São Romão, São Sebastião do Anta, São Sebastião do Maranhão, São Thomé das Letras, Senador Modestino Gonçalves, Simonésia, Tiros, Turmalina, Vargem, Grande do Rio Pardo e Varzelândia.