Arquivo mensal: junho 2014

Aécio recebe apoio de Zé Filho, governador do Piauí

Aécio Neves se reuniu com Zé Filho e recebeu o apoio do Governador do Piauí que acredita no projeto de mudança do candidato do PSDB

Eleições 2014

Aécio Neves recebe apoio do governador do Piauí

Fonte: Jogo do Poder

O governador do Piauí, Zé Filho (PMDB-PI), declarou, nesta sexta-feira (20/06), apoio a candidatura do senador Aécio Neves à Presidência da República. Candidato à reeleição ao governo do Estado tendo como vice o tucano Silvio Mendes, Zé Filho se reuniu com Aécio no Rio de Janeiro e ressaltou que tomou a decisão porque acredita no projeto de mudança proposto pelo candidato do PSDB.

Anúncios

Eleições: Aécio e PMDB selam união no Rio

Aécio Neves fechou acordo com o PMDB do Rio para entrar na chapa do governador Luiz Fernando Pezão, um eleitor declarado de Dilma.

Eleições 2014

Fonte: Folha de S.Paulo 

Aécio sela união com PMDB no Rio e divide base de Dilma

Tucano faz acordo com Pezão depois de Campos apoiar petista Lindbergh

Presidente será forçada a dividir palanques no Estado com seus dois principais adversários na corrida presidencial

Alianças políticas costuradas nos últimos dias obrigarão a presidente Dilma Rousseff a dividir com seus principais adversários na corrida presidencial o apoio dos dois maiores palanques montados para as eleições deste ano no terceiro maior colégio eleitoral do país, o Rio de Janeiro.

No domingo (22), o senador mineiro Aécio Nevescandidato do PSDB à Presidência da República, fechou acordo com o PMDB do Rio para entrar na chapa do governador Luiz Fernando Pezão, um eleitor declarado de Dilma, que concorre à reeleição com o apoio do PMDB.

O acordo foi fechado no apartamento de Aécio no Rio, com a presença de Pezão e seu padrinho político, o ex-governador Sérgio Cabral. O apoio do PSDB garantirá a Pezão mais tempo para fazer propaganda no rádio e na televisão e a Aécio, estrutura para fazer campanha no Rio.

O acerto deverá ser anunciado nesta segunda-feira (23) por Pezão e pelo presidente do diretório estadual do PMDBJorge Picciani, principal mentor da aproximação com Aécio. No início de junho, ele reuniu 1.500 pessoas num ato de apoio ao presidenciável tucano no Rio.

Com o PSDB a seu lado, Pezão ampliará de 9 minutos para cerca de 12 minutos o tempo de sua coligação em cada bloco de 25 minutos de propaganda no horário eleitoral, que começa em agosto.

O acordo com o PMDB é o segundo golpe sofrido pela base governista no Rio em poucos dias. Na sexta (20), o PSB do ex-governador Eduardo Campos, outro rival de Dilma na eleição presidencial, selou aliança com o candidato do PT ao governo estadual, o senador Lindbergh Farias.

As duas alianças enfraquecem a campanha de Dilma, reduzindo o empenho que os candidatos dos dois maiores partidos da base governista poderiam ter na campanha da presidente se não tivessem se unido a seus adversários.

Embora a cúpula do PMDB esteja comprometida com a candidatura de Dilma à reeleição, o partido se distanciou do PT em vários Estados, num sinal do desconforto que a longa parceria com os petistas causa nas bases do partido.

O acordo de Pezão com Aécio abriu espaço na chapa do PMDB para outro adversário dos petistas, o vereador e ex-prefeito César Maia (DEM), que deverá concorrer ao Senado no lugar do ex-governador Cabral, que deixou o cargo com a popularidade em baixa e agora desistiu da disputa.

Com a aliança de Campos e Lindbergh Farias, o candidato da chapa petista ao Senado será o deputado e ex-jogador de futebol Romário (PSB), que já declarou que não votará em Dilma.

Contrário à aliança do PMDB com os tucanos e defensor do alinhamento com o governo federal, mas minoritário dentro do partido, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), divulgou nota em que classificou o acordo como um “bacanal eleitoral”.

“O conjunto de avanços que o Rio e a população vêm colhendo nos últimos anos é resultado de uma soma de forças políticas que têm trabalhado de maneira coerente”, afirmou Paes na nota.

Ele fez referência a declaração anterior do deputado Alfredo Sirkis (PSB-RJ), que na semana passada chamou de “suruba” a aliança feita por Campos com Lindbergh. “Depois da suruba, o que se vê agora é o bacanal eleitoral, e o Rio não pode ser vítima dele”, disse Paes.

Aécio Neves terá apoio do PTB nas eleições presidenciais

PTB, em decisão da Executiva Nacional do partido, anunciou que integrará aliança em favor do senador Aécio Neves.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

 PTB anuncia apoio à candidatura de Aécio Neves à Presidência

Em nota oficial, o PTB, em decisão da Executiva Nacional do partido, anunciou neste sábado (21) que integrará a aliança em favor do candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves. No próximo dia 27, em Salvador (Bahia), a decisão será formalizada durante a Convenção Nacional da legenda.

Na nota, assinada pelo presidente nacional do PTBBenito Gama, o partido reitera o desejo por mudanças e a confiança que Aécio reúne as condições para a retomada do crescimento econômico e a garantia da manutenção das conquistas sociais “hoje incorporadas à vida nacional”.

A seguir, a íntegra da nota oficial do PTB.

NOTA OFICIAL DO PTB

Executiva Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) sempre esteve sintonizada com os legítimos interesses do país. Por isso, participou do esforço da conquista da estabilidade econômica e dos avanços sociais que marcaram as últimas décadas no Brasil.

Hoje, mais uma vez sintonizada com o desejo de mudanças que vem sendo expressado pela ampla maioria do povo brasileiro, o PTB declara seu apoio ao senador Aécio Neves para as eleições presidenciais desse ano. Temos convicção de que Aécio reúne as condições para a retomada do crescimento econômico, seja na garantia da manutenção das conquistas sociais hoje incorporadas à vida nacional.

Essa decisão atende o clamor da maioria da bancada federal e de estados, onde os conflitos locais entre PTB e PT ficaram insustentáveis, como, por exemplo, Distrito Federal, Roraima, Piauí e Rio de Janeiro. Os estados ficam liberados para manter os acordos locais e esta decisão será apresentada na Convenção Nacional do PTB no próximo dia 27 de junho, em Salvador.

Salvador, 21 de junho de 2014

Benito Gama
Presidente Nacional do PTB

Entrevista do presidente do PSDB, senador Aécio Neves

São Paulo – 21-06-14

Sobre apoio do PTB

Recebi agora um comunicado do presidente do PTBBenito Gama, que se soma a nós. O PTB expressa um sentimento que é majoritário na sociedade brasileira por mudanças. E o PTB sempre foi um aliado tradicional do PSDB lá atrás. Esteve com o presidente Fernando Henrique no momento da estabilidade da economia, deu sustentação ao governo do presidente Lula e está buscando um caminho onde acho que encontrará maior convergência. No meu estado, em Minas Gerais, onde tenho uma relação, inclusive, pessoal com os dirigentes do PTB, fizemos uma bela travessia juntos ao longo desses 12 anos. Aqui em São Paulo, o PTB apoia historicamente o governador Geraldo Alckmin. Não cabe a mim fazer o julgamento individual de A ou B, cabe a mim perceber que há uma movimentação natural de partidos da base no caso específico agora, de setores de partidos da base já vem existindo há muito tempo. Agora, isso acaba fazendo com que um partido formalmente manifeste seu apoio à nossa candidatura. É bem-vindo e vamos fazer uma grande caminhada pelo Brasil.

Aécio Neves critica discurso do PT

Aécio Neves 2014: A constatação que faço é que esse o governo é tão ruim que até o PT quer mudar”, criticou Aécio

Eleições 2014

Fonte: PSDB

Governo é tão ruim que até o PT quer mudar, critica Aécio Neves

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, ironizou, no sábado (21/06), o discurso de mudança defendido pelo PT durante a convenção nacional que oficializou a candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição.

“O PT realiza em Brasília, neste mesmo horário, a sua convenção nacional. Sabem qual a palavra que mais se fala hoje na convenção nacional do PT? É a mudança. Mudança disso, mudança daquilo. A constatação que faço é que esse o governo é tão ruim que até o PT quer mudar”, criticou Aécio durante discurso na convenção do Partido Solidariedade, que oficializou hoje apoio às candidaturas dos tucanos à Presidência e ao governo de São Paulo.

convenção do Solidariedade reuniu cerca de 4,5 mil militantes e delegados na Casa Portugal, na Liberdade, região central de São Paulo. O evento contou com as presenças do presidente nacional do partido, deputado federal Paulinho da Força, do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do ex-governador José Serra, do senador Aloysio Nunes, entre outras lideranças.

Aécio também usou o discurso para criticar o governo petista por não ter feito as reformas necessárias para modernizar o Estado brasileiro, mesmo após 12 anos a frente do Executivo. “Vamos mudar, mas sem o PT, para resgatar a meritocracia, a eficiência e, porque não, a coragem para fazermos a reformas permanentemente adiadas por esse governo”, anunciou o candidato do PSDB a presidente.

Ao falar sobre como pretende recolocar o Brasil na rota do crescimento e do desenvolvimento social, Aécio afirmou a mudança será feita em conjunto com a sociedade.  “Essa grande travessia que vamos fazer para que o Brasil possa retomar o crescimento, avançar em indicadores sociais e se reconciliar com a sociedade brasileira não será, jamais, obra de um homem ou de um partido político. Tem que ser uma obra coletiva de pessoas que têm compromissos com o Brasil e com competência para ajudar nas mudanças”, destacou Aécio Neves.

Aécio recebe título de Cidadão Recifense em Pernambuco

Aécio agradeceu, ao discursar, aos pernambucanos pela homenagem e lembrou a luta de homens públicos na construção da democracia brasileira.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Aécio recebe título de Cidadão Recifense e ressalta luta dos pernambucanos pela democracia

Ao som do maracatu e da presença marcante dos tradicionais bonecos de Olinda, o presidente nacional e candidato do PSDB à Presidência da Repúblicasenador Aécio Neves, recebeu, na noite desta quarta-feira (18/06), o título de Cidadão Recifense na Câmara de Vereadores da capital pernambucana. Ao discursar, Aécio agradeceu aos pernambucanos pela homenagem e lembrou a luta de homens públicos como Miguel ArraesFernando LyraRoberto MagalhãesSérgio GuerraJarbas Vasconcelos e Marco Maciel na construção da democracia brasileira.

“Cito alguns desses nomes para mostrar que Pernambuco sempre ofereceu ao Brasil homens íntegros e honrados, de posições distintas, o que necessário, mas que lutavam por suas ideias”, afirmou Aécio Neves.

Ao recorrer à história para traçar um paralelo entre Minas Gerais e Pernambuco, Aécio lembrou da luta dos dois estados pelo fim do Império.

“Antes mesmo da República, na busca da libertação da Coroa Portuguesa, a revolução pernambucana completou o esforço dos mineiros que na Inconfidência conseguiram dar os primeiro passos na busca da nossa libertação. Se o Brasil se transformou no final daquele século em uma República, isso se deu em grande parte pelo suor, pela coragem e pelo sangue dos pernambucanos e dos mineiros”, ressaltou Aécio Neves.

O candidato tucano também aproveitou o discurso para destacar que o próximo presidente da República terá a missão de unir o país, diante da política adotada pelo PT de dividir a nação entre “nós” e “eles”.

“Faço uma palavra de repúdio àqueles que querem dividir o Brasil ao meio, entre nós e eles. Isso não é digno, não é legítimo e não atende aos interesses dos brasileiros. Nossos desafios serão imensos. Precisamos de um Brasil em que todos sejamos nós. Nós com melhor educação, nós com segurança, nós com saúde digna, nós com empregabilidade. Esse é o sonho de cada um de nós”, reiterou Aécio Neves.

Pluralidade

Em gesto de civilidade política, Aécio ressaltou como positivo para o processo democrático a candidatura do ex-governador Eduardo Campos à Presidência.

“Ele oxigena a disputa eleitoral e permite que haja pluralidade de ideias e que o debate não se dê apenas no antagonismo com aqueles que estão no governo”, disse Aécio.

Maracatu

A sessão em homenagem ao senador mineiro foi feita pelo vereador André Régis, líder do PSDB na Câmara de Vereadores do Recife. Ao chegar, o candidato tucano foi recebido pela banda de maracatu Maracambuco e por bonecos de Olinda que representavam sua própria figura e as de seu avô, Tancredo Neves, e do ex-presidente Fernando Henrique CardosoAécio também foi presenteado com um guerreio de lança, símbolo da resistência do povo pernambucano.

Ao discursar, o vereador André Régis destacou a trajetória de Aécio Neves em defesa da democracia e da eficiência na gestão pública.

“É uma grande hora conceder esse título a Aécio Neves. É notório o sucesso dele em seus 30 anos de vida pública. Estamos homenageando um líder que entende que é preciso valorizar a cidadania, a confiança e a prosperidade do povo brasileiro. Esperamos que as calçadas do Recife conduzam Aécio a inúmeras vitórias”, afirmou o vereador André Régis.

A cerimônia foi acompanhada pelo senador tucano Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), pelos deputados federais Antônio Imbassahy (PSDB-BA), líder do partido na Câmara dos Deputados, Bruno Araújo, presidente do PSDB em Pernambuco, e pelo deputado Mendonça Filho, líder do DEM na Câmara. Também estiveram presentes os deputados estaduais Terezinha Nunes e Daniel Coelho, o presidente da Câmara de Vereadores, Vicente Gomes, o vereador Raul Jungmann (PPS), entre outras lideranças.

Aécio Neves visita Pernambuco promete medidas de impacto social

Aécio Neves visita região para apresenta a proposta de um Novo Nordeste.  Proposta é ampliar o investimentos em regiões de baixo IDH.

Aécio e o Novo Nordeste

Fonte: Estado de Minas

Aécio inicia caminhada pelo Nordeste e promete “choque de infraestrutura”

“Candidato tucano abre no estado do adversário socialista caminhada pela região que, segundo ele, receberá medidas de impacto social

Cinco dias depois de ter a sua candidatura a presidente da República oficializada, o senador Aécio Neves (PSDB) escolheu Pernambuco – berço político do adversário Eduardo Campos (PSB) – para anunciar um “choque de infraestrutura” para o Nordeste. No Recife, onde recebeu na noite de ontem o título de cidadão honorário, o tucano afirmou que vai percorrer vários estados da região ao longo do mês que vem para elaborar um conjunto de ações que chamou de “Novo Nordeste”, incluindo medidas de “enorme” impacto social.

As medidas prometidas caso eleito, segundo ele, visam diminuir as diferenças entre as regiões e os brasileiros, “tratando de forma diferente aqueles que são diferentes”. “Quando concluí meu governo em Minas, depois de oito anos de mandato, havíamos investido três vezes mais per capita nas regiões de menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) em relação às regiões mais ricas do estado. Digo isso não apenas em relação a Pernambuco, mas é preciso que apresentemos uma proposta muito clara que está sendo elaborada para o Nordeste brasileiro”, afirmou o tucano.Governador reeleito de Minas Gerais, o senador Aécio Neves ponderou ainda que o programa nordestino será semelhante ao Travessia, instituído para ampliar e melhorar o IDH do estado. De acordo com o candidato a presidente, será definido um prazo para que os índices do Nordeste se equiparem aos das regiões mas ricas do Brasil.Aécio Neves se reuniu ontem com o governador João Lyra Neto (PSB), sucessor de Eduardo Campos, que deixou o cargo em abril para disputar a Presidência da República. Na saída do encontro, classificado pelo tucano como uma “conversa entre amigos”, ele criticou a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT) para a região – mesma estratégia usada por Campos em visita a municípios nordestinos.

“No Nordeste, há a percepção clara de que o governo (federal) faliu. O governo da presidente Dilma fracassou na condução da economia, que vai nos legar como herança, ou a quem quer que seja o presidente da República, uma das piores equações econômicas de nossa região”, disse. Em Pernambuco, os tucanos vão apoiar o candidato a governador Paulo Câmara (PSB), aliado de Eduardo Campos.

Presidente nacional do PSDB, Aécio disse que a decisão no estado foi tomada “de forma compartilhada” pela direção estadual do partido e que seria respeitada por ele. “Não colocarei meu projeto presidencial acima dos interesses locais do partido”, ponderou.

Segundo turno 

Em entrevista  à Rádio Jornal, do Recife, Aécio Neves disse que “ninguém tem lugar garantido” no segundo turno das eleições e mostrou-se confiante em um apoio de Eduardo Campos caso chegue à disputa com Dilma. “A partir do momento em que ele (Campos) vem para o campo oposicionista e passa a ter discurso de contestação ao que aí está, acredito que o eleitorado que votar nele é oposicionista, não é eleitor que vá votar no governo”, disse. Da mesma forma, afirmou que seria “natural” seus eleitores optarem por Eduardo Campos em um segundo turno.

Eleições: encontro entre Aécio e Jereissati aumenta especulações sobre vice

Foto do encontro foi postada pelo presidenciável tucano em uma rede social, cresce especulações em torno do nome  para ocupar vaga de vice.

Eleições 2014

Fonte: O Globo 

Cotado para vice, ex-senador Tasso Jereissati se encontra com Aécio no Rio

Foto do encontro foi divulgada pelo presidenciável em uma rede social

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, reuniu-se nesta quinta-feira com o ex-senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) no Rio de Janeiro. Uma foto do encontro foi postada pelo presidenciável tucano em uma rede social, fazendo crescer as especulações em torno do nome do cearense para ocupar a vaga de vice na chapa tucana.

Foi o primeiro encontro reservado entre os dois desde que começaram os rumores de que Tasso poderia ocupar a vaga. O ex-senador esteve nas últimas semanas em viagem ao exterior e retornou ao Brasil somente dias antes da convenção nacional que formalizou a candidatura de Aécio no sábado passado.

Nem Tasso nem Aécio deram entrevista para falar sobre o encontro. Seguidores do presidenciável manifestaram na rede social apoio à dobradinha.

Aécio marcou para o próximo dia 30 o anúncio do nome de seu vice, que acontecerá durante na reunião da Executiva Nacional do PSDB, em Brasília.

Há duas teses em discussão sobre o perfil do vice tucano. Alguns defendem que ele seja de São Paulo para garantir uma votação expressiva de Aécio no estado, considerada fundamental para uma vitória eleitoral. Outra corrente defende que o vice seja do Nordeste, para melhorar o desempenho do PSDB e reduzir a vantagem do PT da presidente Dilma Rousseff na região. Por São Paulo, o nome favorito é do senador Aloysio Nunes FerreiraNo Nordeste, a opção é Tasso. Há ainda uma alternativa com a ex-ministra Ellen Gracie.

Ainda não está descartada a opção de um vice de outro partido. Aécio sonha com o apoio do PTB, PR ou PSD e usa a vaga de vice para tentar convencer as siglas a embarcarem em seu projeto presidencial.

Programa de Governo do PSDB: Aécio apresenta hoje parte da equipe

Aécio fará nesta sexta-feira mais um anúncio de integrantes da equipe que irá elaborar documento que norteará programa de governo.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio apresenta parte da equipe que fará seu plano de governo

Candidato tucano vai anunciar nomes das áreas de educação e segurança pública

A duas semanas do prazo final para entregar à Justiça Eleitoral um plano de governo, o candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, fará nesta sexta-feira no Rio mais um anúncio de integrantes da equipe responsável por elaborar o documento. Desta vez serão apresentados, entre outros, os escalados para duas áreas de forte apelo eleitoral: educação e segurança pública. Quem coordenará a educação será a ex-secretária de Educação de São Paulo Maria Helena Guimarães. Para a segurança, será confirmado o sociólogo e professor da Universidade Federal de Minas Gerais Claudio Beato.

legislação eleitoral exige que os candidatos apresentem no ato do registro de candidaturas os respectivos programas de governo. Segundo o TSE, o prazo para o cumprimento da formalidade é 5 de julho.

Apesar de os trabalhos de construção do programa de governo estarem acontecendo há algumas semanas, oficialmente somente foram anunciados por Aécio o coordenador geral da equipe, Antonio Anastasia, e o coordenador da área ambiental, Fábio Feldman, em maio, em São Paulo.

Embora ainda em formatação, alguns pilares desse plano estão definidos. Na economia, por exemplo, o controle da inflação é um dos pontos centrais. Entretanto, por enquanto, poucos detalhes há sobre as medidas para isso. O grupo que está responsável pelas propostas para a economia tem como principal nome o ex-presidente do Banco CentralArmínio Fraga. Na área social, o destaque será o compromisso com a manutenção dos programas sociais do governo do PT, para fazer frente às acusações de que o PSDB governa apenas para as elites.

programa de governo do PSDB será feito em duas etapas. A primeira será concluída em até 15 dias com a apresentação de um esboço do plano. Esse documento será feito por Anastasia, que tem recebido dados de grupos setoriais. Depois de julho, será a economista e ex-diretora-executiva da Vale do Rio Doce Carla Grasso quem assumirá a rotina dos trabalhos para que Anastasia, candidato ao Senado por Minas Gerais, possa se dedicar à própria campanha. Grasso também está entre os auxiliares a serem apresentados por Aécio no Rio.

Na segunda fase, a campanha promete detalhar as propostas para as diversas áreas (economia, saúde, educação, segurança pública, meio ambiente, energia, agronegócio, infraestrutura, entre outros) e divulgá-las até setembro. A equipe de Aécio diz que não vai cometer o erro das candidaturas de 2010, que apresentaram ao Tribunal Superior Eleitoralesboços superficiais de planos de governo e foram duramente criticadas por isso.

Aécio tem preferência entre eleitores que conhecem candidatos

Datafolha: eleitores que conhecem “muito bem” ou “um pouco” os 3 concorrentes, Aécio lidera com 29%. Dilma tem 23% e Campos 14%.

Eleições 2014

Fonte: Blog Fernando Rodrigues Folha

Aécio fica à frente de Dilma e Campos entre eleitores que conhecem os 3

Fernando Rodrigues

Grupo ainda é pequeno: só 20% conhecem os 3 concorrentes, diz Datafolha

Este é apenas um exercício para ajudar a compreender como o cenário sucessório ainda é volúvel. Quando se isolam na pesquisa Datafolha os eleitores que dizem conhecer “muito bem” ou “um pouco” os 3 principais concorrentes, o resultado é o seguinte: Aécio Neves (PSDBlidera com 29%Dilma Rousseff (PT) tem 23% e Eduardo Campos (PSB) fica com 14%.

É importante notar que esse universo de eleitores é pequeno: só 20% dos eleitores brasileiros dizem conhecer muito bem ou um pouco os 3 principais concorrentes ao Planalto.

A margem de erro fica em 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Também é relevante considerar que quando o grau de conhecimento dos candidatos for bem alto para todos (em meados de setembro), nada garante que os percentuais apurados agora sejam replicados para o universo completo do eleitorado.

Mesmo com todas essas ressalvas, chama a atenção a estratificação com os eleitores apenas do Estado de São Paulo. Isso foi possível porque houve uma amostra grande na pesquisa realizada nos dias 4 e 5 de junho pelo Datafolha, que também aferiu a intenção de votos entre os paulistas sobre a disputa pelo governo local.

Em solo bandeirante e entre os que conhecem os 3 principais candidatos, Aécio Neves tem 33%Dilma Rousseff e Eduardo Campos ficam empatados em segundo lugar, com 17% cada um. Nesse caso, a margem de erro sobe para 4 pontos percentuais.

Eis os números:

Aécio fica à frente entre eleitores que conhecem os 3 candidatos

Datafolha fez uma estratificação desse tipo em abril de 2014. À época, havia um empate triplo entre DilmaAécio e Campos. Seria um erro fazer uma comparação do atual levantamento com o de abril, pois os universos são diferentes. Em abril, 17% diziam conhecer os 3 principais candidatos. Agora, são 20%.

Este Blog mantém a mais completa página de pesquisas eleitorais da internet brasileira, com levantamentos de todos os institutos desde o ano 2000. Também é possível ver em tabelas detalhadas os cenários do 1º turno de 2014 para as disputas de presidentegovernador e senador.

Aécio Neves: nome de vice será revelado dia 30

Ao lado de ex-atletas mineiros, Aécio Neves creditou parte dos méritos da Copa à responsabilidade dos Estados e não do Governo Federal

Copa do Mundo

Fonte: Hoje em Dia

Depois do início bem-sucedido da Copa do Mundo, que tem sido elogiada pela imprensa internacional, o candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves (PSDB), creditou parte dos méritos do evento ao esforço dos estados, não do governo federal.

“Dentro de campo nós sempre achamos que a Copa ia funcionar muito bem, até porque os estádios estão prontos e são de responsabilidade dos estados, como nós sabemos”, disse nessa terça-feira (17), ao conceder entrevista à imprensa, pouco antes de assistir ao jogo entre Brasil e México, na casa de amigos, no bairro Belvedere, região centro-sul deBelo Horizonte.

Vice

Segundo Aécio Neves, o nome do candidato a vice-presidente em sua chapa só será revelado no dia 30 deste mês, quando se esgota o prazo para homologação das candidaturas. “Felizmente, nós temos nomes muito qualificados, inclusive apontados pela própria imprensa, sucessivamente. O problema do PSDB não é ausência é o excesso de nomes qualificados”.

Pelo menos 3 nomes são especulados, o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles (PSD-SP), o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e o ex-senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Ataques

Aécio Neves disse que não vai cair na “armadilha do falso confronto” com líderes do PT, em especial o ex-presidente Lula, que tem endurecido as críticas à oposição, dizendo que ela “destila ódio” contra o projeto petista e que no governo do PSDB foi instituída a “promiscuidade” entre o Executivo e o Congresso, com a “compra de votos” para aprovar a reeleição em 1996. “Não vamos cair nessa armadilha desse falso confronto. O que nós temos é a responsabilidade, como partido de oposição, de apresentar ao Brasil uma proposta alternativa a essa que ai está. Os brasileiros estão sentindo que o Brasil não pode continuar avançando tão lentamente. Há hoje uma paralisia generalizada, uma desconfiança enorme em relação ao Brasil, que diminuiu os investimentos e fez com que tenhamos o terceiro pior ciclo de crescimento da história republicana”, afirmou.

Descontraído e otimista com os rumos de sua campanha e da partida que estava para acontecer, Aécio falou na sala da casa, que reunia vários ex-jogadores de futebol, como Nelinho, Piazza, Vantuir Galdino, Cleber, João Leite, Batista, Paulo Cruz, Heleno e Procópio, além de Giovane Gávio e Henrique, do vôlei, e do ator Eri Jonhson.

O senador disse que o momento é de confraternização: “acho que hoje somos todos brasileiros, torcendo para a gente ganhar na bola, ganhar em campo. Depois, vamos trabalhar para que o Brasil ganhe também fora de campo”, completou, referindo-se à eleição.

Aliados querem usar ligação com o Rio

Para alavancar a campanha de Aécio Neves no Rio de Janeiro, aliados planejam associar ao tucano a imagem de ‘carioca’, já que ele foi criado e tem casa na capital fluminense. Questionado se a tática pode gerar certo constrangimento em Minas Gerais, já que o senador exalta tanto sua mineiridade, Aécio disse que deixa esta decisão para os conterrâneos. “Eu deixo os mineiros resolverem. Quando eu deixei o governo, as pesquisas mais importantes diziam que 92% deles confiavam na nossa administração”, concluiu.

Ajuda polêmica 

A visita da presidente Dilma a uma das cidades mais afetadas pelas enchentes no Paraná, em União da Vitória, teve um ingrediente político. O governo do Paraná, comandado pelo tucano Beto Richa, se queixou de que a ajuda federal tardou após as chuvas que mataram 11 e desalojaram quase 40 mil no Estado. Richa é candidato à reeleição e tem como principal rival a petista Gleisi Hoffmann, ex-ministra da Casa Civil de Dilma.

A presidente disse ter liberado cerca de R$ 3,9 milhões em recursos e donativos para a assistência às chuvas no Paraná. O governo estadual afirma que, por questões burocráticas, só chegou cerca de R$ 1 milhão.