Gestão da Saúde: Força Tarefa contra a dengue chega ao município de Vespasiano

Cidade recebeu o reforço de 63 agentes da Força Tarefa de combate à dengue

Leandro Heringer/SES-MG
Os agentes vão realizar o Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LirAa), juntamente com os agentes de zoonoses do município
Os agentes vão realizar o Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LirAa), juntamente com os agentes de zoonoses do município

Vespasiano, cidade da região Central de Minas Gerais recebeu, nesta segunda-feira (12), o reforço de 63 agentes da Força Tarefa de combate à dengue, que vão realizar o Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LirAa), juntamente com os agentes de zoonoses do município.

A partir desta quarta-feira (14), será feito mutirão para eliminação de focos do mosquito e a intenção é atingir todos os imóveis da cidade. “Não podemos perder a oportunidade de utilizar esse pessoal. O mutirão será feito em aproximadamente oito dias úteis”, declarou o coordenador de Zoonoses e Vigilância Sanitária de Vespasiano, Claudemiro Ferreira.

Além disso, várias ações de mobilização estão programadas na cidade. Dia 20 de março acontece a panfletagem educativa no Posto São Paulo, localizado na Rua Antonio Araujo Vargas. Nos dias 22 e 23, o Dengue Móvel estará presente, respectivamente, nos bairros Jardim da Glória e Morro Alto. Haverá dia 24, o evento “Minha cidade sem dengue”, também em Morro Alto, em frente à lagoa, contando com panfletagem, cama elástica, pula-pula, denguemóvel, banda e adesivação nos carros.

O superintendente Regional de Saúde de Belo Horizonte, Paulo de Tarso Auais, enfatizou a necessidade de parceria tripartite efetiva. “Estado, municípios e cidadãos devem estar alinhados no combate à dengue. A Força Tarefa é uma iniciativa do Governo de Minas no sentido de promover ações efetivas tanto no plano epidemiológico quanto de mobilização nas cidades”.

Para Claudemiro, é fundamental a participação da população. “Nosso LirAa em janeiro foi de 3,9,o que representa alto risco. Para diminuir, o cidadão tem que participar”. O pensamento é compartilhado pelo morador Jair da Cruz, que recebeu a visita do agente de endemias em sua casa. “Tenho cuidado para mim e para minha família. Acabo fazendo para os vizinhos também. O trabalho dos agentes com informação e verificação é muito válido”, ressalta.

Fonte: Agência Minas

Publicado em 13/03/2012, em Anastasia, Antonio Anastasia, Choque de Gestão, Gestao Pública, Gestão, Gestão Eficiente, Gestão em Minas e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: