Gestão Anastasia: prazo para registrar granjas avícolas em Minas Gerais termina dia 29

Produtores devem apresentar ao IMA a documentação necessária para obtenção do registro

Divulgação/IMA
Cadastro das granjas é importante para se obter informações precisas desses estabelecimentos, como a localização e número de aves comerciais existentes
Cadastro das granjas é importante para se obter informações precisas desses estabelecimentos, como a localização e número de aves comerciais existentes

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) alerta os avicultores de Minas Gerais que o prazo limite para a entrega da documentação necessária para o Registro das Granjas Avícolas Comerciais termina em 29 de fevereiro. Os produtores devem apresentar ao IMA a documentação necessária para obtenção do registro. A ação tem como objetivo adequá-los às normas que tratam dos procedimentos para registro, fiscalização e controle desses estabelecimentos no Estado.

A entrega da documentação exigida deve ser feita nos escritórios do instituto que atendem ao município onde a granja esteja localizada. Atualmente, 2.649 granjas avícolas comerciais são cadastradas no IMA, sendo que 1.971 já entregaram a documentação para registro.

Para o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, o cadastro das granjas é importante para se obter informações precisas desses estabelecimentos, como a localização e número de aves comerciais existentes. “Isso facilita o trabalho de defesa sanitária agropecuária em todo o Estado, tornando-o mais eficaz, seguro e produtivo. Além de atestar a procedência das aves aos compradores e consumidores finais”, completa.

Durante o ano, serão realizadas vistorias nos estabelecimentos que estão no processo para obtenção do registro, para verificar o cumprimento das exigências previstas na Instrução Normativa Nº 56/2007/Mapa e suas alterações estipuladas na Instrução Normativa N° 59/2009/Mapa.

Após realização das fiscalizações e tendo sido atendidos os requisitos exigidos, será emitido o Certificado de Registro de Estabelecimento Comercial Avícola. Sem o registro, o avicultor fica impedido de comprar pintinhos, vender a sua produção, emitir Guia de Transito Animal (GTA) e, também, impedido de transportar as aves.

O registro é uma exigência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para as granjas avícolas comerciais dos estados participantes do Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA).

A atuação do IMA dentro do programa se dá na execução das atividades de cadastro, registro e vistoria de granjas, fiscalização do trânsito intermunicipal e interestadual, fiscalização da participação de aves em eventos pecuários, além do atendimento à suspeitas de doenças de notificação obrigatória, cadastro de estabelecimentos que comercializam aves vivas e cadastro de zoológicos e outras explorações avícolas.

Fonte: Agência Minas

Publicado em 15/02/2012, em Anastasia, Antonio Anastasia, Choque de Gestão, Gestao Pública, Gestão, Gestão Eficiente, Gestão em Minas e marcado como , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: