Gestão Antonio Anastasia: bombeiros mobilizam todo o efetivo no enfrentamento ao período chuvoso

BELO HORIZONTE (06/01/12) – O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais vem mobilizando todo o seu efetivo para as ações de enfrentamento ao período chuvoso. Uma força-tarefa com mais 4.000 homens, em todas as regiões do Estado, vem desempenhando ações diversas, com grupamentos especializados em salvamentos e resgates em casos de enchentes e inundações. As ações da corporação podem ser empregadas de forma imediata, em todos os municípios mineiros, por meio de deslocamento aéreo ou terrestre, reduzindo o tempo de atendimento aos acidentes causados pelas chuvas. Desde outubro, o Corpo de Bombeiros já atendeu a cerca de 2.000 ocorrências, entre o salvamento de vítimas, operações emergenciais em localizações inundadas e vistorias em imóveis e encostas. Mais de 180 pessoas foram resgatadas pelos Bombeiros em enchentes e inundações, desde outubro.

O Corpo de Bombeiros também atendeu a casos de desabamentos e quedas de árvore – trabalhos que envolvem, ainda, a retirada de pessoas em áreas de risco e a distribuição de donativos. Todos os recursos utilizados pela corporação no atendimento às ocorrências relacionadas às chuvas que atingem o Estado, com atuação efetiva de equipes operacionais, viaturas, embarcações e aeronaves, foram intensificados. Em Guidoval, na Zona da Mata, os Bombeiros montaram unidades de atendimento emergencial para o auxílio nos trabalhos de reconstrução da cidade – atingida por temporais nos últimos dias.

Orientações sobre riscos em Ouro Preto

O risco de deslizamentos de terra em Ouro Preto é a principal preocupação do Corpo de Bombeiros. Com o anúncio de que neste final de semana a chuva deve voltar a atingir a cidade, os Bombeiros aconselham a população a ficar alerta.

Segundo o Sargento Luciano, a qualquer movimentação de terreno, trincas em barrancos ou nas casas, as pessoas devem procurar um local seguro para se abrigarem. “Caso visualizem barrancos ou árvores de grande porte caindo atrás das casas, é necessário evacuar a área imediatamente”, enfatiza. Ele afirma, ainda, que na cidade o risco maior é o de deslizamentos, já que Ouro Preto possui muitos barrancos e encostas.

Desde o início do período de chuvas foram registrados 268 desabamentos e aproximadamente 55 famílias foram removidas na cidade com o auxílio da Defesa Civil Estadual. No período mais crítico, o Corpo de Bombeiros do município contou com o apoio da corporação de Belo Horizonte, totalizando 55 militares envolvidos.

Ações preventivas em Pirapora

O 4º Pelotão do Corpo de Bombeiros, sediado em Pirapora, Norte de Minas, está auxiliando a retirada de moradores das ilhas sediadas às margens do Rio São Francisco – que está tendo o volume de água elevado, em virtude da abertura das comportas da barragem de Três Marias. Cerca de 80 famílias trabalham com o plantio de diversos tipos de lavouras nas ilhas e, em virtude do aumento do volume de água, a tendência nos próximos dias é que as áreas sejam totalmente inundadas.

A orientação para que as famílias saiam das ilhas foi iniciada na semana passada pelo Corpo de Bombeiros, quando as chuvas começaram a cair com maior intensidade em diversas regiões do Estado. Apesar da retirada dos trabalhadores das ilhas, o Corpo de Bombeiros informa que as famílias não estão enfrentando dificuldades de alojamento em outros locais, pois possuem residências em Pirapora e Buritizeiro, município também localizado às margens do Rio São Francisco. O trabalho de retirada das famílias está sendo intensificado nesta semana, após a Cemig ter enviado comunicado às unidades do Corpo de Bombeiros avisando sobre a abertura das comportas da barragem de Três Marias.

O Rio São Francisco já está cerca de dois metros acima do nível normal e a previsão é de que o volume de água aumente nos próximos dias. O reservatório da usina hidrelétrica de Três Marias está cheio e as comportas começaram a ser abertas gradativamente quarta-feira à tarde. Ainda no Norte de Minas, com o alto índice de chuvas, a Cemig está atuando intensamente no monitoramento dos níveis dos reservatórios das usinas da empresa, a fim de amenizar os efeitos das cheias, que atingem várias comunidades ribeirinhas. Em um trabalho integrado, a Cemig também está em constante contato com a Defesa Civil dos municípios.

Força máxima em Governador Valadares

Já o 6º Batalhão de Bombeiros Militar, em Governador Valadares, atua com todos os militares disponíveis para ajudar as famílias atingidas pelas enchentes do Rio Doce. Todo o efetivo, inclusive do setor administrativo, está empenhado no socorro às vítimas. Com a forte chuva que atingiu a cidade nos últimos dias, o Rio Doce subiu cerca de quatro metros. Parte dos bairros de Santa Rita, São Pedro, Jardim Alice e JK, além da Ilha dos Araújos foram inundados. Muitas pessoas ficaram ilhadas e foram resgatadas por meio de barcos. Até agora, cerca de 250 pessoas foram retiradas de suas casas. Não houve registro de feridos. Ainda na madrugada desta sexta-feira (6), o Corpo de Bombeiros compareceu ao distrito de Baguari, onde um deslizamento de um barranco atingiu uma casa.

Após a previsão de fortes chuvas para este início do mês de janeiro, o Corpo de Bombeiros de Governador Valadares fez um trabalho educativo com as famílias que moram em áreas de risco de deslizamentos e de inundações na cidade. “Visitamos, junto com  Defesa Civil, as áreas de risco e fizemos várias blitze educativas orientando a população de como deve proceder em caso de enchentes. Até agora não foram registrados feridos nas áreas inundadas”,  disse o major Neri de Mattos, subcomandante do 6º Batalhão.

O mesmo trabalho de prevenção com as populações ribeirinhas foi feito na cidade de Conselheiro Pena, onde o Rio Doce também está acima do nível normal. Até agora, não foram registradas ocorrências de destaque. As águas do Rio Doce devem continuar subindo até a parte da tarde, quando devem começar a voltar ao nível normal. Até a situação ser controlada, os Bombeiros seguem em alerta máximo. “Caso seja preciso, acionaremos as pessoas que estão de folga”, afirmou o major Mattos.

Fonte: Agência Minas

Publicado em 09/01/2012, em Anastasia, Antonio Anastasia, Choque de Gestão, Gestao Pública, Gestão, Gestão Eficiente, Gestão em Minas e marcado como , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: