Arquivo mensal: outubro 2010

Governo Anastasia implanta unidade de atendimento integrado (UAI)

Serviço Público Eficiente

Fonte:Agência Minas

Seis Unidades de Atendimento Integrado (UAI) serão implantadas em Minas Gerais pelo regime de Parceria Público-Privada (PPP) em 2011. Foi publicada na edição do Minas Gerais desta quinta-feira (28), a homologação do processo de licitação, realizado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), para implantação de UAIs em Betim, Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia e Varginha.

O processo, que começou em abril de 2010 com a realização de consulta pública para elaboração de edital, teve como vencedor o Consórcio Minas Cidadão, além da participação do consórcio Camig e do Grupo UAI.

Inovação

As Unidades de Atendimento Integrado (UAI) foram instituídas pelo Governo Anastasia com o objetivo de melhorar o atendimento ao cidadão, modernizando as instalações e o atendimento dos antigos postos Psiu em algumas cidades e criando novas unidades em outras. Já são 19 unidades no Estado nesse modelo em que o Governo projeta a demanda do município e a MGS executa.

Para aprimorar ainda mais o atendimento ao cidadão, o Governo do Estado optou por adotar, pela primeira vez, a Parceria Público-Privada na operação e manutenção das UAIs nos seis municípios. É um projeto inovador, com um contrato de longo prazo, em que o Estado pode amortizar o investimento, já que não precisa desembolsar todos os custos da implantação dos serviços.

Além da economia, o sistema de PPP vai proporcionar mais qualidade aos serviços, pois quanto maior o ganho de eficiência, maior a taxa de retorno para a prestadora e, principalmente, para o cidadão. Assim, o pagamento se dará por atendimento prestado, desde que observados três indicadores de desempenho: grau de satisfação do cidadão, tempo médio de espera para atendimento e percentual de senhas efetivamente atendidas. O Coeficiente de Eficiência (Coef) será calculado com base nesses indicadores e será aplicado no cálculo da contraprestação pecuniária como forma de associar o desempenho da concessionária à sua remuneração.

A expectativa é que o contrato seja assinado nos próximos 45 dias. Após a assinatura, espera-se que o cronograma seja o seguinte: duas unidades implantadas e em operação em até três meses após a assinatura do contrato – Betim e Montes Claros; outras duas unidades implantadas e em operação em até quatro meses após a assinatura do contrato – Uberlândia e Governador Valadares; e mais duas unidades implantadas e em operação em até cinco meses após a assinatura do contrato – Juiz de Fora e Varginha.

Unidades de Atendimento Integrado em operação no Estado:

1. BARBACENA

2. BELO HORIZONTE (Barreiro)

3. BELO HORIZONTE (Praça Sete)

4. BELO HORIZONTE (Venda Nova)

5. CORONEL FABRICIANO

6. CURVELO

7. DIVINÓPOLIS

8. LAVRAS

9. MURIAÉ

10. PARACATU

11. PASSOS

12. PATOS DE MINAS

13. POÇOS DE CALDAS

14. PONTE NOVA

15. POUSO ALEGRE

16. SÃO JOÃO DEL-REI

17. SETE LAGOAS

18. TEÓFILO OTONI

19. UBERABA

Anúncios

Governo Anastasia: Gasmig inicia operações de gasoduto

Políticas públicas

Antonio Anastasia destaca políticas do governo mineiro para ampliar a oferta de gás natural em Minas Gerais

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Gasmig iniciou hoje as operações do gasoduto do Vale do Aço em Belo Oriente

Governador garantiu que o governo do Estado irá manter os investimentos na construção de gasodutos em todas as regiões de Minas

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, destacou nesta quarta-feira (29/09) o compromisso do Governo de Minas com o desenvolvimento de novas fontes de energia. Hoje, a Gasmig, subsidiária da Cemig, iniciou as operações da segunda etapa do gasoduto do Vale do Aço, ligando os municípios de Ouro Branco (Região Central) e Belo Oriente (Vale do Rio Doce), beneficiando a região que concentra grandes siderúrgicas. Para os próximos anos, Antonio Anastasia reiterou o compromisso em ampliar a rede de gasodutos em todo o Estado, que deverá ganhar impulso com a descoberta de gás natural na Bacia do São Francisco, em Morada Nova de Minas.

“Nós inauguramos o gasoduto que atende o Vale do Aço, vai até à Cenibra, em Belo Oriente, e vai se desdobrar daqui a pouco para Governador Valadares, uma região que precisa de energia. Aqui no Sul de Minas, já inauguramos o gasoduto a Poços e Andradas. Vamos estendê-lo até Pouso Alegre. Descobrimos gás mineiro agora em Morada Nova e daqui a pouco tempo, teremos gás mineiro com gasodutos, para a Região Metropolitana, para o Norte e para o Triângulo, já que Uberaba também terá o seu gasoduto. O gás hoje é o combustível barato, ecológico, correto e que vai permitir uma fonte importante de energia para as empresas mineiras”, afirmou Antonio Anastasia, em entrevista na cidade de Ouro Fino (Sul de Minas).

Nova Fronteira Econômica
A expansão da rede de gasodutos por Minas Gerais ganhará um novo impulso, a partir da descoberta de gás natural na Bacia do São Francisco. A descoberta de gás natural em Morada Nova de Minas (Região Central) foi anunciada oficialmente no início deste mês. A expectativa é que o início da oferta do produto atraia para Minas empresas de diversos setores da indústria petroquímica, química e siderúrgica, que têm o gás como um insumo importante para a produção. A descoberta do gás na região Central de Minas decorre de um esforço empreendido pelo ex-governador Aécio Neves para que a exploração de gás no São Francisco ocorresse depois de décadas de estudos iniciados na área.

A perfuração do poço em Morada Nova de Minas foi iniciada no último dia 22 de julho e atingirá, em um prazo de 60 dias, a profundidade de 2.500 metros. A descoberta dos primeiros indícios da existência de gás natural ocorreu no último dia 27, a uma profundidade de 1.440 metros com queima de gás natural na superfície em teste de formação.

Além do desenvolvimento econômico, Minas Gerais poderá contar com uma nova fonte de receita, a partir dos royalties pagos pela exploração do gás natural. O empenho para desenvolver a exploração do gás da Bacia do São Francisco contou com a participação da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig). A companhia é uma das sócias do consórcio Cebasf, com 49% de participação, responsável pelo Bloco SF-T-132, onde foi efetuada a descoberta.
Vale do Aço
O gasoduto do Vale do Aço contou com investimentos da ordem de R$ 700 milhões, ligando os municípios de Ouro Branco (Região Central) e Belo Oriente (Vale do Rio Doce), passando ainda por Ouro Preto, João Monlevade, Timóteo e Ipatinga, entre outros municípios. A próxima etapa é a expansão do duto até Governador Valadares, em um trecho de mais 70 quilômetros. O processo de licitação para o projeto executivo já foi iniciada e a expectativa é que este ramal esteja concluído até o final de 2012.

O Gasoduto do Vale do Aço tem 331 quilômetros de extensão e as obras foram divididas em duas etapas. A primeira, com 53 quilômetros de rede, liga São Brás do Suaçuí a Ouro Branco e se encontra em operação desde 2006, atendendo também aos municípios de Conselheiro Lafaiete, Congonhas, Ouro Branco e parte de Ouro Preto. A segunda etapa, de Ouro Branco a Belo Oriente, tem 278 quilômetros. As obras geraram cerca de dois mil empregos.

O empreendimento tem capacidade para o transporte de 2,4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia e garantirá maior competitividade à região, que concentra algumas das principais empresas dos setores de mineração, siderurgia, celulose e papel. A oferta de gás natural possibilitará também uma matriz energética mais competitiva, com benefícios à toda a economia do Vale do Aço. Além de ser mais econômico, o gás natural é menos poluente, apresentando baixa emissão de resíduos tóxicos, o que contribui para a melhoria da qualidade do ar e pode ser utilizado também por outras empresas dos segmentos da indústria, comércio, além do consumo residencial e como combustível para automóveis.

A Cenibra, uma das maiores fabricantes de celulose branqueada de eucalipto, matéria-prima utilizada na produção de papel, será uma das empresas da região a utilizar o gás natural como fonte de energia. O empreendimento também tem entre seus principais clientes a Arcelor Mittal (João Monlevade), Arcelor Mittal Inox (Timóteo) e a Usiminas (Ipatinga).

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Sergio Barroso, anunciou também que a Cemig, com interveniência do Governo de Estado, vai assinar acordo com a Petrobras, nos próximos dez dias, para construção de um gasoduto ligando São Carlos (SP) a Uberaba, o que viabilizará a implantação de uma fábrica de amônia na cidade do Triângulo Mineiro. Os investimentos totais para a construção do gasoduto e da planta industrial devem chegar a R$ 4,6 bilhões, dos quais R$ 600 milhões serão desembolsados pela Cemig e o restante pela Petrobras.

Expansão
Nos últimos oito anos, o volume de gás distribuído pela Gasmig quase dobrou, passando de 381,3 milhões de metros cúbicos em 2003, para 662,7 milhões de metros cúbicos neste ano. Além disso, a empresa mais que dobrou sua rede de distribuição, que alcançou neste segundo semestre de 2010 a marca de 800 quilômetros de extensão.  Mais de R$ 1 bilhão foram investidos na expansão da malha de gasodutos e volume de distribuição de gás natural.

A Gasmig está se preparando para ingressar no segmento de distribuição de gás natural para consumidores residenciais e pequenos comércios urbanos, iniciando a oferta por Poços de Caldas (Sul de Minas) e alguns bairros de Belo Horizonte. Os contratos de suprimento de gás a longo prazo com a Petrobras garantem o abastecimento do mercado atual e de toda a expansão planejada para Minas Gerais até o ano de 2026.

Apenas no primeiro semestre deste ano, a rede da Gasmig foi ampliada em  110 quilômetros com a conclusão do Gasoduto Sul de Minas que atende aos municípios de Jacutinga, Poços de Caldas, Andradas e Caldas. Essa rede, com capacidade para fornecer 25 milhões de metros cúbicos/mês à região, tem como principais clientes as indústrias de alumínio, mineradoras, cerâmicas e indústria de vidro (cristais).